Mansão de Ratinho é assaltada e todos são feitos de reféns no local

ratinho
Ratinho tem casa assaltada (Imagem: Reprodução / Instagram)

Em meio às polêmicas, o apresentador Ratinho revelou que teve sua casa em São Paulo invadida, na tarde desta sexta-feira (17). Segundo ele, seus funcionários foram feitos de reféns.

A intenção dos criminosos seria roubar objetos de valor da mansão. Em entrevista a José Luiz Datena, no Brasil Urgente, da Band, Ratinho entrou em detalhes. Ele disse que não estava em casa no momento:

“Eu não estava lá. Não fizeram nada, só amarraram o pessoal, trancaram, levaram celulares, tentaram saber se tinha cofre. Usaram armas, colocaram armas na cabeça dos funcionários”.

Veja Também

“Ando de carro blindado, tento de todas as formas fazer a segurança da minha casa. Eles abriram o portão, eles tinham o controle do portão. Se alguém entrar na minha casa, eu vou defender os meus filhos com arma, não quero nem saber”, prosseguiu.

“Está tudo bem, graças a Deus foi só um susto. Mas eu vou colocar mais seguranças armados lá na frente de casa, fazer o quê?”, completou.

Confira:

Ratinho é investigado

Após Ratinho atacar a deputada Natália Bonavides (PT-RN), a Câmara dos Deputados já começou a investigar a atitude.

O site Metrópoles informou que a Polícia Legislativa apura se o comunicador da emissora de Silvio Santos e os detratores da deputada – nas redes sociais – cometeram crimes.

Além disso, a publicação revelou que a Procuradoria Parlamentar da Câmara também investigará Ratinho por supostos crimes de injúria e difamação.

A apuração pode ser enviada ao Ministério Público, para que o caso siga tramitando na Justiça. O MPF foi outro órgão que pediu que o MP Eleitoral apure o caso.

Representantes do grupo de trabalho de Violência Política de Gênero, as procuradoras Raquel Branquinho e Nathália Mariel apontaram que Ratinho pode ter cometido dois crimes.

Em nota, o órgão disse que o primeiro, previsto no Código Penal, é o crime de violência política, cuja pena mínima é de três anos de prisão.

O outro, por sua vez, consta do Código Eleitoral como “assediar, constranger, humilhar, perseguir ou ameaçar” uma parlamentar para impedir ou dificultar seu mandato.

A pena é de um a quatro anos de prisão. Os dois crimes foram incluídos na lei neste ano.

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

MAIS LIDAS

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›