Marjorie Estiano considera a ideia de voltar a cantar e revela impedimento

Marjorie Estiano
Marjorie Estiano considera a ideia de voltar a cantar e revela impedimento (Imagem: Reprodução / Globoplay)

O primeiro personagem fixo de Marjorie Estiano na televisão foi em 2004, em Malhação, onde marcou seu nome com a inesquecível Vagabanda. Por muito tempo ela uniu o talento da atuação com o do canto, mas o seu último trabalho musical foi em 2016, deixando seus fãs sentindo falta dessa fase.

A artista esteve no Altas Horas deste sábado (14) e até confessou a vontade de voltar a cantar profissionalmente e lançar álbuns, mas também esclareceu que está sem tempo para se preparar, além da falta de “prazer” para subir aos palcos novamente.

Tenho esse desejo, sim. Eu tenho uma relação com a música também muito íntima e muito prazerosa. Acho que é assim que tem que ser, sabe?”, explicou Marjorie, sendo clara ao afirmar que precisa de sentido para tudo que faz.

Continuando o discurso, a atriz contou que precisa de um tempo para fazer esses trabalhos sem pressão e que necessita estar totalmente engajada no possível projeto:

Pra eu conseguir fazer as coisas, ter prazer em fazer um trabalho, criar uma obra, uma música ou um show, eu preciso descobrir esse lugar na administração de tudo o que a gente quer fazer, de tudo que a gente quer realizar. Pra mim, é um compromisso muito grande com a minha integridade, com estar inteira naquilo ali, sabe? Pra esse momento eu acho que preciso de um tempo”.

Outro assunto tratado pela atriz foi a série Sob Pressão, que estreou uma nova temporada recentemente, onde Marjorie Estiano interpreta a médica Carolina. Ela definiu que conseguiu entender melhor a importância do SUS (Sistema Único de Saúde) no Brasil:

Essa é uma série que traz tanto aprendizado que não consigo nem mensurar o quanto. Não só pra mim que estou vivendo essa médica, mas cada tema que a gente traz a li de saúde é atravessado pelas nossas questões sociais. É o básico do básico. Só de compreender um pouco melhor o que é o SUS”.

A entrevistada ainda aproveitou a deixa para cobrar dos governantes mais atenção à saúde pública do país e tocou nessa ferida de um sistema que está sucateado pela corrupção:

É um privilégio ter esse sistema nesse país tão grande, que contempla todo brasileiro mesmo nessas condições de falta de subfinanciamento e que a corrupção que assola… Conseguir compreender a diferença entre do que o sistema oferece e como é bem pensado para a gente defender o SUS mesmo”.

Matheus Henrique Menezes
Oficialmente redator desde 2017. Experiências como editor e social media. Já escrevi sobre famosos, TV, novelas, música, reality show, política e pauta LGBTI+. Vídeos complementares no YouTube, no canal Benzatheus.
Veja mais ›