Milene Domingues relembra relação com Ronaldo e revela medo

Milene Domingues
Milene Domingues chegou a casar grávida de Ronaldo e deu o que falar (Imagem: Reprodução – Instagram / Divulgação / Montagem – RD1)

Milene Domingues fez uma revelação ao falar sobre o casamento com Ronaldo. Durante participação no podcast Podpah, a eterna rainha das embaixadinhas relembrou do fato de ter se visto no meio de um furacão ao se envolver com o jogador que estava no auge da carreira na época:

“Minha vida mudou completamente. Eu morava com meus cinco irmãos, minha mãe e meu padrasto numa casa pequena e aí me vi morando num triplex em Milão, na Itália, grávida de um dos maiores jogadores do mundo. A primeira coisa que passava na minha cabeça era o que a galera ia pensar de mim”.

“Tinha medo de pensarem que eu estava dando o golpe do baú, que eu estava engravidando de um cara famoso. Minha preocupação na época era essa. Além disso, eu não tinha noção do que era ser mãe e nem pensava nisso“, confidenciou.

Milene disse ainda que nunca imaginou que se envolveria com um jogador, já que estava acostumada a conviver com os atletas desde cedo.

Sempre vivi no meio dos jogadores por causa das embaixadinhas. Eu tinha o maior preconceito. Eu via a forma como eles falavam das mulheres, o jeito que eles viviam. E eu falava: ‘nunca vou namorar um jogador. Aí Deus fez com que eu namorasse ‘O jogador’, que eu tivesse um filho com ‘O jogador’“, brincou ela, que é mãe de Ronald, hoje com 21 anos.

Por falar no filho, Milene garantiu que tem influência no fato do herdeiro, que é DJ, não seguir os passos dos pais profissionalmente. Segundo ela, Ronald acabou vivendo uma “overdose” de futebol durante a infância:

“Eu ia parar de jogar com 30 anos, já era mãe e não queria mais que ele ficasse viajando o tempo inteiro, ele já estava chegando na fase de pré-adolescência, tinha de nove para dez anos, e eu queria que ele tivesse uma vida normal, tadinho. Acho que fui eu a culpada que ele não joga futebol. Era só futebol, futebol, futebol…”.

Quando eu voltei a jogar, depois do nascimento dele, tanto na Itália quanto na Espanha o futebol não era tão desenvolvido”, disse.

Eu já tinha me separado do pai dele e sempre quis cuidar do meu filho, não queria babá. Queria ser jogadora e mãe. Eu brincava que minha mochilinha era Ronald e chuteira. Ele era o mascote dos times. Às vezes, corria com ele nas costas. Ele respirou futebol a vida inteira”, contou.

MAIS LIDAS

Guinho Santos
Guinho Santos é formado em Jornalismo e escreve sobre o universo das celebridades há dez anos. Reality show, bastidores da TV e novelas também são seus pontos fortes. Além disso, possui experiência como Social Media e apresentador. Seu canal na web é através do Instagram @guinhosantos__.
Veja mais ›