No Globo Repórter, Antonio Fagundes entrega segredo para decorar seus textos

Edney Silvestre e Antonio Fagundes no Globo Repórter
No Globo Repórter, Antonio Fagundes entregou segredo para decorar seus textos (Imagem: Divulgação / Globo)

A incrível capacidade dos atores de decorar textos é algo para ser estudado. Quem já trabalhou com Antonio Fagundes se surpreende mais ainda com a técnica que ele utiliza. O ator prefere decorar suas falas minutos antes de começar a gravar.

“Eu dou uma lida nas para saber do que se trata e se  percebo que a cena é relativamente fácil, deixo para decorar na hora da gravação. Se tem uma fala de duas páginas, uma coisa maior, dou mais umas duas ou três lidas pra me localizar melhor. Mas isso leva cinco, dez minutos mais ou menos. Aí, gravo (risos)”, contou o ator em entrevista para Edney Silvestre, no Globo Repórter.

E para seguir decorando mais e mais textos, Fagundes ensinou outro truque. “Você tem que apagar. Eu fiz 30 e poucas novelas. São 200 capítulos em cada uma delas. Vamos multiplicando isso por páginas e a gente vê que se eu guardar tudo isso na minha cabeça, eu vou acabar esquecendo meu nome (risos)”, revelou Fagundes.

Veja Também

O programa ainda trouxe uma pesquisa inédita sobre os efeitos da covid na capacidade de lembrar fatos recentes. Esquecer panela no fogo, ar-condicionado ligado ou de deixar comida para o pet antes de sair. Dar uma aula e esquecer o tema e não saber quem são os alunos. Acabar de ver um filme e não se ter ideia  de que história contava. Todas essas sensações que algumas pessoas supõem serem os primeiros sinais de Alzheimer ou de demência podem não ter nenhuma relação com essas doenças.

Pessoas que tiveram a vida impactada pelas sequelas da covid foram tema do Globo Repórter

Pesquisa feita pela Rede Sarah com 614 pessoas acometidas pela Covid constatou como sequelas desconhecidas da doença causam deficiências na concentração, atenção, fluência verbal e, em todos, algum grau de perda da memória. Foram detectados ainda vários casos de aumento de ansiedade e depressão. O programa mostrou o encontro de Edney Silvestre com algumas pessoas que tiveram a vida impactada por esses sintomas.

“Eu fiquei muito impressionado com a história da jornalista Rhayanna Ferreira Araújo que lia de quatro a cinco livros por mês e agora se esquece da página que leu ao chegar à seguinte. É de cortar o coração. Nem das músicas de Rita Lee, que a mãe dela cantava em sua infância, ela consegue se lembrar. Vamos retratar a angústia dos que tiveram grandes perdas da memória após a covid – e o alívio de quem encontrou tratamento e está se recuperando. Outra história que me impressionou enormemente foi a extraordinária memória do Antonio Fagundes, seus truques de aprendizado e o surpreendente caminho para agilizar a memória: aprender a apagar o que decorou antes, “limpar o HD”, como ele definiu”, narrou Edney Silvestre.

O Globo Repórter apresentou também iniciativas como de taxistas de São Paulo que vão testar o pilates para melhorar a memória e as reações ao dirigir e como a meditação está ajudando crianças a se lembrar do aprendizado nas aulas e a melhorar as notas.

“Ver as crianças da escola pública da periferia de São Paulo que, fazendo meditação toda semana, aprenderam a controlar suas ansiedades e agilizar a memória, tornando-se excelentes alunos, me deu uma esperança enorme em como melhorar a escola pública de nosso país”, comentou Edney.

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Henrique Carlos
Apaixonado por televisão e cinema, desde 2009 trabalha com internet. Já passou por grandes veículos de comunicação e teve experiência no rádio. Atualmente estuda para continuar crescendo na área e pode ser acompanhado através do perfil @henriquethe2 no Twitter.
Veja mais ›