Feliciano (Leopoldo Pacheco) padece com paixão por Valentina (Lilia Cabral), em “O Sétimo Guardião” (Imagem: Divulgação / Globo)

A chegada de Valentina (Lilia Cabral) a Serro Azul, nos capítulos da semana que passou de “O Sétimo Guardião”, trouxe à tona um segredo do mendigo Feliciano (Leopoldo Pacheco): ele ficou em choque ao vê-la e a chamou pelo nome de batismo, Marlene. Depois, em conversa com Milu (Zezé Polessa), admitiu ser apaixonado pela vilã.

Você tem certeza?“, questionou a amiga. “Absoluta, Milu! Então eu não ia reconhecer a mulher que me deixou de coração partido a vida inteira? Era ela, sim. Tá diferente, tá fina, não tem mais nada a ver com aquela Marlene que foi escorraçada aqui da cidade. Tá mais bonita ainda. Mas era ela! Era Valentina Marsalla!”, responde Feliciano.

Os dois voltaram a se cruzar posteriormente, por conta do velório de Egídio (Antonio Calloni), ex de Valentina, amigo de Feliciano e guardião da fonte que a malvada agora pretende tomar, para fazer dinheiro com medicamentos milagrosos e, assim, salvar sua empresa da falência.

Casais com segredos do passado são recorrentes em muitas novelas, incluindo nas do autor de “O Sétimo Guardião”, Aguinaldo Silva. Em “Pedra Sobre Pedra” (1992), Murilo Pontes (Lima Duarte) foi abandonado no altar por Pilar Batista (Renata Sorrah); ela acreditava que ele tinha engravidado uma amiga do casal. Já em “A Indomada” (1997), Helena (Adriana Esteves) resiste ao marido, Teobaldo (José Mayer), por entender que e ele “a comprou” de sua família, os Mendonça e Albuquerque.

Recomendados para Você:

COMENTÁRIOS - Interaja Você Também! ⬇

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Está opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!