Pabllo Vittar revelou detalhes sobre novo crush (Imagem: Reprodução / Globo)

Em entrevista ao “Conversa com Bial”, Pabllo Vittar revelou detalhes de uma conversa que tem avançado com o seu novo crush e contou porque não se relaciona mais com fãs.

No bate-papo com Pedro Bial, a intérprete esclareceu os rumores que surgiram na internet sobre a sua saída do país após as eleições.

Primeiro, ela contou detalhes da sua vida sentimental. O rapaz que ela conheceu foi durante um de seus shows. “Saí do meu show e conheci uma pessoa. Não beijei, nem nada. Só fiquei encantada. Falei para as minhas amigas que estava ficando apaixonada“, revelou.

Eles já conversaram e trocaram confidências. “Ele me mandou uma música. Não vou nem falar o que falava na letra. Pelo que eu entendi ele queria o meu corpo ‘seduzente’ total de prazer. Torçam por mim“, brincou.

Em seguida, Vittar explicou os motivos que a levaram a não se relacionar com fãs. “Uma vez fiquei, a gente se beijando e ele perguntou quando era o próximo single, como era a montação, qual era o próximo clipe. Amo meus fãs, mas não fico mais“, desabafou.

Pabllo não deixou de comentar o nível de intolerância e do discurso de ódio que cresceu antes, durante e após as eleições. “Tenho muitos medos mesmo, esse é um deles. Já temos índices e matérias de pessoas que mataram pessoas LGBT gritando o nome dele. É muito triste, espalha sangue para todo canto“, declarou.

Ela falou ainda sobre a sua maneira de se manifestar politicamente. “As pessoas me perguntam porque minha música não é mais política. Eu sou uma ‘Poc’ que sobe no palco num país que mais mata LGBT. Se isso não é uma forma politica, não sei o que é. Na minha música quero levar alegria. Nos meus shows, ninguém quer saber a sexualidade de ninguém“, afirmou.

Sua luta para chegar onde está foi enorme. “Sempre tive esse sonho dentro de mim. Queria muito ser descoberta, só queria uma oportunidade. Levei muito não“.

Depois de postar um vídeo na web como cantora, recebeu muitas críticas, mas isso não a parou. “Nunca desisti. Depois de postar o vídeo, fui para São Paulo tentar minha carreria. Trabalhei em salão, fast food e sempre buscava oportunidade na noite“.

Uma vez liguei para uma boate, ainda não me montava, pedi para cantar em uma festa e consegui. Ali começou tudo“, revelou ela, que relembrou com dor sua infância. “É cruel. Imagina uma criança gordinha e afeminada em uma escola pública no Maranhão. Aconteceram coisas horríveis. Apanhar é o de menos. Não gosto de falar, mas é muito importante porque isso ainda acontece ainda“.

Recomendados para Você:

COMENTÁRIOS - Interaja Você Também! ⬇

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Está opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!