Público acusa a Globo de fazer campanha antecipada para Eduardo Leite presidente

Pedro Bial entrevistou Eduardo Leite (Imagem: Reprodução – Globoplay / Montagem – RD1)

A Globo sempre foi acusada de privilegiar o PSDB nas campanhas presidenciais e recebeu Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul pelo partido, no Conversa com Bial da última quinta-feira (01).

O tom humanizado da entrevista, na qual ele chegou a revelar sua sexualidade, porém, foi visto pelo público como uma tentativa de dar início a uma campanha implícita de marketing para as próximas eleições.

Após a desistência da candidatura de Luciano Huck, que sempre foi próximo do partido, os internautas viram Eduardo Leite como a aposta do “centrão”, uma espécie de “meio termo” entre a Direita e Esquerda política.

Para o público, tanto a Globo quanto o PSDB estão tentando dialogar com os dois lados e, para isso, teriam voltado a se unir de forma estratégica como uma opção entre o Bolsonarismo e o Lulismo em 2022.

“Eduardo Leite é bonito, fala bem, tem experiência, é do PSDB, de direita e agora se assumiu gay no mesmo dia que realizou um debate com pré-candidatos à presidência da república em 2022”, observou um internauta.

“A Rede Globo é conhecida por caminhar junto ao PSDB. Dito isso, não temos dúvidas de que ela vai tentar emplacar Eduardo Leite, fiquem atentos! Só quem NÃO conhece o histórico político de Leite, que o compre”, acusou outro.

“A Globo tenta emplacar o PSDB na presidência há anos, a estratégia agora é humanizar e ‘mostrar’ diversidade e tolerância dentro do partido, pra lubrificar o real candidato que eles irão lançar”, observou mais um.

Aos 36 anos de idade, o político contou pela primeira vez que é homossexual:

“Eu nunca falei sobre um assunto que eu quero trazer pra ti no programa, que tem a ver com a minha vida privada e que não era um assunto até aqui porque se deveria debater mais o que a gente pode fazer na política, e não exatamente o que a gente é ou deixa de ser”.

“Nesse Brasil com pouca integridade a gente precisa debater o que se é, para que se fique claro e não se tenha nada a esconder. Eu sou gay”, disse em seguida.

“E sou um governador gay, e não um gay governador, tanto quanto Obama nos Estados Unidos não foi um negro presidente, foi um presidente negro. E tenho orgulho disso”, acrescentou.

O gaúcho finalizou o assunto dizendo que decidiu se assumir para que possa levar a vida de forma transparente.

“Nunca neguei ser quem eu sou. Eu nunca criei um personagem. Eu nunca tentei fazer as pessoas acreditarem em algo diferente. Muitos políticos tem coisas erradas a esconder. Não vai ser a minha orientação sexual, que não e algo de errado, que vai ser escondido”, completou.

Após toda a repercussão causada pela entrevista, Eduardo Leite usou as suas redes sociais para agradecer a todas as mensagens de apoio que recebeu.

“As inúmeras mensagens de carinho e apoio que estou recebendo me deixam absolutamente seguro: o amor vai vencer o ódio! Muito muito muito obrigado a todos!”, reagiu, visivelmente emocionado.

Confira:

Lucas Medeiros
Lucas Medeiros é formado em Comunicação Social e escreve sobre o dia a dia da TV.
Veja mais ›