Rapper Matuê se explica após tentar “vender sangue” e “comprar almas”

Matuê
Rapper Matuê se explica após tentar “vender sangue” e “comprar almas” (Imagem: Reprodução / Instagram)

Matuê, que por sinal é amigo do saudoso MC Kevin, virou assunto após um post misterioso em seu perfil do Twitter. O artista se disse mal interpretado na mensagem que estava tentando passar a seus seguidores e voltou à rede social para se explicar.

Levando os internautas para uma loja de roupas, com um link, o rapper escreveu o seguinte: “Vendo sangue, compro almas”. Como o tweet veio descontextualizado, os fãs se assustaram. Um deles disparou: “Que vender sangue mano, tanta gente precisando em vez de dar de graça, tu já tem grana”.

Os tuiteiros também foram levados para uma página com a “venda” de um colar de sangue e depois vinha outro textinho: “Sua solicitação de troca foi realizada com sucesso. Em breve as almas selecionadas serão contempladas. Aguarde instruções”.

Pouco tempo depois, Matuê esclareceu que tudo não passava de uma campanha solidária: “Essa campanha de marketing do colar foi só uma forma da gente coletar os dados de milhares de pessoas, pra gente promover a doação de sangue. Ninguém ia perder alma nenhuma, só ia receber um e-mail daora, promovendo a doação nesse momento de Covid, onde as doações estão em baixa”.

Depois, o artista alegou que a repercussão negativa o afetou: “Essa perseguição toda me debilitou muito, vai fazer um mês que vou e volto de médico e hospital, meu corpo dói muito, quando eu acordo de amanhã é um tarefa quase impossível me levantar, desenvolvi vários quadros que nenhum médico consegue explicar. Minha saúde tá péssima”.

Vou fazer esse lançamentos que já estão pronto e tchau por um tempo, ninguém é obrigado a passar por isso eu não desejaria o que tô passando nem pro meu pior inimigo”, finalizou Matuê, dando fim à polêmica.

Confira:

Matheus Henrique Menezes
Oficialmente redator desde 2017. Experiências como editor e social media. Já escrevi sobre famosos, TV, novelas, música, reality show, política e pauta LGBTI+. Vídeos complementares no YouTube, no canal Benzatheus.
Veja mais ›