Repórter da Globo se pronuncia sobre agressões de equipe de Bolsonaro

Globo
Camila Marinho reagiu contra agressões da equipe de Bolsonaro (Imagem: Reprodução – Globo / Montagem – RD1)

A repórter Camila Marinho, da TV Bahia, afiliada da Globo, usou o seu perfil do Instagram para se pronunciar sobre as agressões que sofreu da equipe do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Tudo aconteceu em cobertura no estado, neste domingo (12).

“Nenhuma ameaça nos tira da nossa missão de informar. Só lamento a truculência, o ódio e a covardia dos que se acham melhores e acima de tudo e de todos. Somos trabalhadores exercendo o nosso papel: jornalistas em busca dos fatos e da verdade. Mas antes de tudo somos seres humanos. E o mínimo que queremos é respeito”, desabafou a jornalista.

A repórter da afiliada da Globo ainda acrescentou: “Obrigada a todos que mandaram mensagens e se solidarizaram diante dos fatos deste domingo. Não consegui ler tudo ainda, mas logo logo eu zero as mensagens”.

A situação ocorreu durante uma visita do presidente ao município de Itamaraju, no Extremo Sul baiano. A região vem sendo castigada pelas chuvas e recebeu a comitiva presidencial em um estádio.

Equipes da TV Bahia (Globo) e da TV Aratu (SBT), então, foram agredidas por seguranças de Jair Bolsonaro. De acordo com a GloboNews, os colaboradores do presidente formavam uma espécie de “paredão” no estádio onde o chefe do executivo pousou e agiram para impedir a aproximação dos repórteres.

Um dos seguranças segurou a jornalista Camila Marinho, com a parte interna do antebraço, numa espécie de “mata-leão”. Em seguida, o presidente avançou e subiu na caçamba de uma caminhonete, ainda dentro do estádio, onde ocorreu uma nova confusão.

O segurança pessoal de Bolsonaro tentou impedir que os repórteres erguessem os microfones em direção ao presidente. No tumulto, um apoiador do presidente puxou o microfone da profissional e o aparelho da TV Bahia teve a espuma rasgada.

Globo furiosa

Em nota lida no Fantástico, a emissora ressaltou que o Supremo Tribunal Federal foi acionado em novembro pela Rede Sustentabilidade para proibir Bolsonaro de atacar ou incentivar ataques verbais ou físicos à imprensa e aos profissionais da área.

“A TV Globo afirma que as agressões deste domingo mostram que já passou da hora de a Procuradoria-Geral da República dar o seu parecer na ação que corre no Supremo, tendo como relator o ministro Dias Toffoli. A imprensa cumpre um direito inscrito na Constituição e deve ter a sua segurança garantida”, dispara o comunicado.

Na mesma nota, a emissora ressalta que “as cenas bárbaras de hoje [domingo] e aquelas ocorridas na Itália, no dia 31 de outubro, ensejam duas constatações: se os seguranças agem por conta própria, a Presidência deve ser responsabilizada por omissão”.

“Frente aos evidentes e graves riscos enfrentados por repórteres de todos os veículos, é urgente que o Judiciário se pronuncie. A Globo repudia as agressões aos repórteres Camila Marinho e Cleriston Santana, da TV Bahia, e aos repórteres Xico Lopes e Dário Cerqueira, da TV Aratu, e se solidariza com eles”, finaliza o canal.

Gostou do conteúdo? Siga @rd1oficial no Instagram e RD1.com.br no Facebook para acompanhar as últimas notícias dos famosos.

MAIS LIDAS

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email [email protected]
Veja mais ›