Revoltado com Bolsonaro, Felipe Neto dá sugestão a quem recebeu cloroquina

Felipe Neto
Felipe Neto toma atitude ao ver mudança de ideia do Ministério da Saúde (Imagem: Reprodução – Instagram – Agência Brasil/ Montagem – RD1)

Felipe Neto usou o seu perfil do Twitter, nesta segunda-feira (17), para se posicionar sobre uma mudança de postura do Ministério da Saúde. Em relatório, a pasta do Governo Federal agora contraindica o uso de cloroquina para tratamento contra a covid-19.

Em sua rede social, então, o youtuber aconselhou os seus seguidores que foram tratados com o medicamento a processar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Eu acho (só acho) que todo mundo que tem um parente que foi tratado com cloroquina e veio a óbito deveria processar o presidente da República”, declarou o famoso, que é um crítico ferrenho do chefe do Executivo.

Após muitas polêmicas, um parecer técnico da Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde), que é um órgão vinculado ao Ministério da Saúde e que tem o objetivo de assessorar a pasta, contraindica o uso de cloroquina, hidroxicloroquina, azitromicina, remdesivir e ivermectina para tratar pacientes hospitalizados com covid-19.

Antes disso, cabe lembrar, o Ministério da Saúde tinha um protocolo com “orientações” sobre o uso de um “kit Covid”, que tinha a cloroquina e outros medicamentos no tratamento precoce da covid-19, assinado pelo então ministro general Eduardo Pazuello sob pressão do presidente.

Recentemente, Felipe Neto ficou possesso com mais uma declaração de Bolsonaro a favor do tratamento precoce contra a Covid-19 usando remédios sem eficácia comprovada contra o vírus.

O desabafo do youtuber aconteceu nos comentários de uma publicação do Chefe do Executivo no Twitter. Em ataque à CPI da Covid, em Brasília, Bolsonaro escreveu:

“Resposta aos inquisidores da CPI sobre o tratamento precoce: 1- Uns médicos receitam Cloroquina; 2- Outros a Ivermectina; e 3- O terceiro grupo (o do Mandetta), manda o infectado ir para casa e só procurar um hospital quando sentir falta de ar (para ser entubado)”.

O recado de Bolsonaro foi feito após a ida do ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, na CPI. Mandetta foi demitido pelo presidente no início da pandemia do coronavírus, em 2020, por não ter aceitado as posições do governo a respeito do tratamento precoce, além de outras questões ligadas à pandemia, como a aversão ao isolamento social.

Felipe se meteu e mandou um quarto argumento para o “capitão”. “4- Alguns médicos assassinam pacientes utilizando método que você ligou para rádio para defender que fosse utilizado”, lembrou. Como prova, o ativista compartilhou notícias da revista Época e da IstoÉ Dinheiro, a primeira sobre o telefonema para a rádio.

Luiz Fábio AlmeidaLuiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e responsável pela coluna "Do Fundo do Baú", publicada às quintas-feiras no RD1, com conteúdos marcantes da história da TV brasileira. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser através do email [email protected]
Veja mais ›