Revoltado, Fábio Porchat cita FHC, Lula e faz duras críticas a Bolsonaro

Fábio Porchat
Fábio Porchat faz vídeo contra Jair Bolsonaro (Imagem: Reprodução – Instagram / Montagem – RD1)

Fábio Porchat produziu um dos vídeos mais críticos sobre a gestão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante a pandemia do novo coronavírus. O ator ficou impressionado sobre como as falas absurdas do “capitão” deixaram o país anestesiado, sem crédito, e comparou situações vividas pelos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Lula.

“O pessoal chama Bolsonaro de genocida e muita gente fala assim: ‘pera aí, não exagera. Genocida? Como assim?'”, começou o apresentador, que justificou: “A gente está tão acostumado a ouvir ele falar merda que a gente vai meio descredibilizando um pouco na nossa cabeça e tirando o peso que é as maluquices, a violência, a agressividade que tem dele”.

Porchat pediu para que os internautas imaginassem a forma como Bolsonaro tem tratado a Covid-19 e a época em que Fernando Henrique Cardoso enfrentou a explosão dos casos de Aids, em 1995:

“Pensa assim, em 1995, o Fernando Henrique Cardoso no auge da Aids e falasse assim: ‘Aids, vírus. Isso é bobagem. Pelo amor de Deus, gente, camisinha eu mesmo não uso. Isso não dá nada. É até bom que o pessoal pegue. Até melhor porque aí ninguém passa Aids para ninguém. O bom é transar, e antes de transar tomar um Omeprazol’. Você iria falar que o FHC enlouqueceu”.

Após o exemplo com FHC, o contratado da Globo continuou com o discurso, mas desta vez deu como exemplo o trabalho do Ministério da Saúde do Governo Lula na epidemia de dengue, em 2007:

“Imagina se o Lula, em 2007, com a Dengue falasse: ‘Esse mosquito não dá nada. Quem reclama de mosquito é porque gosta de picada. Eu mesmo tenho pneu em casa. Já deixei um monte de pneu com água, vasinho de planta, isso não dá nada. Brasileiro tem que ser estudado, bebe água de esgoto não vai aguentar um mosquito’. Você vai falar que o Lula bebeu, que o Lula é louco”.

Fábio Porchat, visivelmente revoltado com a situação, disse que o país saiu de 2021 e foi para 2050. “Teve pandemia no mundo, o presidente não usava máscara, falava que máscara é ruim, não falava de distanciamento social, aglomerava, pegou Covid e falou que não era nada, falou para tomar um remédio que ninguém tomou no mundo inteiro”, relatou.

“Se isso não incentiva as pessoas a duvidar, quando chega a vacina ele fala mal da vacina… Se isso não é atrapalhar muito o caminho que estamos percorrendo como sociedade e como nação, eu não sei mais o que ele precisa fazer para você achar que ele é um cara muito maléfico para o país”, finalizou o artista.

Confira:

Paulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].
Veja mais ›