Revoltado, Neto cita Bolsonaro e detona o Flamengo ao vivo na Band

Neto
Neto rasga o verbo contra o Flamengo (Imagem: Reprodução / Band)

Neto se tornou um dos assuntos das últimas horas por causa do seu mais recente desabafo sobre a polêmica do momento: o surto de covid-19 no Flamengo e sua atitude em pedir o adiamento do jogo contra o Palmeiras no domingo (27). O apresentador detonou o clube, o sindicato e até o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A crítica do comentarista veio à tona por causa do posicionamento e falta de equilíbrio em decisões dentro do time carioca em meio à pandemia. O famoso começou lembrando o público da MP 984, assinada por Bolsonaro e que levou o nome de MP do Flamengo.

“Vocês não quiseram a MP? Vocês não foram lá com o Bolsonaro puxar o saco dele? Aqui você não pode falar do PT, não pode falar de Bolsonaro, não pode falar que vem os caras e te arrebentam. Eu não tenho medo de ninguém, velho. Eu não tenho medo de internet, de nada, só tenho medo de Deus”, avisou.

“Você não foram lá? Vestiram a camisa, o presidente que é palmeirense vestiu a camisa, que por sinal veste camisa falsa. Deveria ser até a original, ainda dá margem para vestir camisa falsa. Veste a original, né? Pelo menos isso”, cutucou. “Para pagar imposto, para fazer as coisas certas para quem vende a camisa”, completou.

“Ah, o protocolo do covid. Estava tudo certo com o Flamengo. Até falou que o Ministério da Saúde tinha que saber do protocolo do Flamengo. Quem treinou antes? A Globo foi lá com o drone, mostra o treino. Ah, não treinou. Aí, quer jogar antes, terminou o campeonato carioca antes, teve mais tempo para treinar para o Brasileiro. Teve tudo o Flamengo”, afirmou Neto.

Em seguida, o ídolo do Corinthians questionou a falta de apoio do sindicato para outros times que enfrentaram o mesmo problema que o Flamengo, mas que jogaram. “Porque não fizeram a mesma coisa com o CSA? Não brigaram com o Goiás quando jogou com o Palmeiras aqui? Porque o Sindicato do Futebol, hoje, está com uma nota: ‘Ah, como é que pode jogar…’. Mas porque não fizeram isso com o Goiás?”, reclamou.

“Não, senhor! Tem que jogar! O Goiás jogou, o CSA jogou!”, defendeu. “E outra coisa, não tem que ter ninguém assistindo em estádio! Não tem que ter 30%, 40% de ninguém. Vocês estão fazendo um protocolo ridículo nesse país! Por causa de dinheiro? Mais de 139 mil pessoas morreram por causa de covid-19. Aqui comigo não, irmão!”, finalizou.

Confira:

CONTINUE LENDO →

Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter e escreve semanalmente para a coluna Você Sabia?. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email paullocarvalho19@gmail.com.