Satanismo, mortes e prostituição: conheça a série de terror que pode ser produzida pela Globo

Globo
Ídolo esquecido, João do Rio pode ter sua vida e obra retratadas em série da Globo (Imagem: Reprodução)

Pupilos de Aguinaldo Silva, os autores Júlio Kadetti e Peterson Klug entregaram à Globo um projeto de série de terror inspirada nos textos e na vida de João do Rio (1881-1921), uma das figuras mais importantes do Rio de Janeiro no século XX, e também na série americana Penny Dreadful (2014), que também retrata histórias de horror e fantasia.

O RD1 obteve acesso com exclusividade a detalhes desta história, que ganhou o título provisório de Dentro da Noite, e que ainda está em análise pela direção da Globo. A demissão de Aguinaldo não deverá afetar a aprovação do projeto, já que ele apenas se ofereceu para supervisionar os textos e não possui os Direitos Autorais da obra.

A trama promete embarcar no submundo da capital carioca nos tempos em que era conhecida como A Cidade da Morte. A onda de violência, principalmente contra os negros recém-libertos da escravidão e imigrantes que vinham tentar a vida, será o pano de fundo da história, que falará sobre mortes misteriosas, drogas, prostituição e a ascensão do anticristo.

Sinopse

Com 12 episódios já escritos, Dentro da Noite tem como protagonista um personagem inspirado no próprio João do Rio, Cloude, descrito na sinopse como um “jornalista rico, inteligente, temido e odiado por muitos”.

A trama se inicia em um bairro de prostituição da capital carioca, onde João é levado por um homem a um bar onde fenômenos sobrenaturais acontecem e revelam uma outra face sobre os presentes no local.

No dia seguinte, convencido de que tudo não passou de uma alucinação, Cloude volta a sua rotina de escrever para um jornal e se livrar de seus velhos inimigos, criados por conta de sua cor, sexualidade e posição política. Mas o jornalista acaba conhecendo Antonia, uma jovem sensitiva dona de um passado nebuloso que começa a repetir tudo o que o protagonista viveu na noite anterior.

A partir desse episódio, a vida do personagem se transforma em um caos, principalmente quando os seus amigos começam a morrer de forma misteriosa e violenta e sempre deixando a mesma mensagem assustadora: “Chegou a hora da colheita. Cloude será arrastado para o inferno”.

Tentando desvendar o mistério, o carioca mergulha nas ruas e vielas do Rio de Janeiro onde muita gente acredita ser católico, mas que abriga centenas de cultos, entre eles os dos adoradores do Diabo que se preparam para a ascensão do anticristo.

João do Rio e as Organizações Globo

Responsável por popularizar os jornais impressos no século passado, o jornalista, historiador e escritor João Paulo Emílio Cristóvão dos Santos Coelho Barreto foi um ídolo de sua época. Ele fez fama e fortuna registrando as histórias de pais de santo, barões do café, presidiários, pivetes assassinos, madames e de todo os outros tipos de gente que circulavam pelas ruas do Rio de Janeiro.

Foi João do Rio quem emprestou dinheiro, no início dos anos 1920, para um jovem talentoso e estagiário chamado Irineu Marinho comprasse as primeiras máquinas que deram origem às Organizações Globo. Na biografia de Roberto Marinho, o jornalista é citado como “um dos homens mais combatidos, criticados e injuriados da imprensa carioca”.

O velório de Paulo Barreto, em 23 de junho de 1921, foi assistido por 100 mil pessoas. Ele já foi interpretado no cinema por José Lewgoy, no filme Tabu (1982). Em Brasília 18% (2006), Otávio Augusto também encarnou um personagem homônimo de João do Rio, que no entanto não se relacionava com a figura histórica.

MAIS LIDAS

Daniel Ribeiro
Daniel Ribeiro cobre televisão desde 2010. No RD1, ao longo de três passagens, já foi repórter e colunista. Especializado em fotografia, retorna ao site para assinar uma coluna que virou referência enquanto esteve à frente, a Curto-Circuito. Pode ser encontrado no Twitter através do @danielmiede ou no [email protected]
Veja mais ›