Exclusivo: Tatá Werneck relembra MTV, festeja sucesso do Lady Night e fala de desafios

Tatá Werneck
Tatá Werneck falou ao RD1 sobre o sucesso do Lady Night (Imagem: Divulgação / Globo)

Fedora, Valdirene, Rita, Talita ou simplesmente Tatá Werneck. Já nos tempos do Comédia MTV, ela chamava a atenção por seu talento e versatilidade. O trabalho na emissora musical acabou despertando o interesse do maior canal do país.

No Grupo Globo desde 2013, ela fez novelas e participou de séries como Shippados, o último trabalho da roteirista Fernanda Young. No canal por assinatura Multishow, Werneck voltou ao posto de apresentadora, ancorando programas que até hoje são lembrados pelos telespectadores. É o caso, por exemplo, do Tudo pela Audiência, que ela comandou ao lado de Fábio Porchat.

O feito inédito de Tatá Werneck à frente do Lady Night

Lady Night, a sua atual atração, conquistou um feito inédito: a repercussão foi tão grande que motivou a direção da Globo a transmitir o programa também na TV aberta. Para isso, a emissora reprisa uma seleção das melhores entrevistas já exibidas no canal a cabo.

Em 2020, a previsão é que o Lady Night permaneça no ar até 23 de julho. Ao longo dos próximos meses, a Globo confirmou que pretende reapresentar as participações de Maiara & Maraísa, Caetano Veloso, Fernanda & Sorocaba, Isis Valverde, Chay Suede, Taís Araújo, Ana Maria Braga, Selton Mello, Fátima Bernardes, Larissa Manoela, entre outros convidados.

O horário escolhido é estratégico: a segunda linha de shows das quintas-feiras, faixa em que A Praça é Nossa já está consolidada. Não raramente, aliás, o programa de Carlos Alberto de Nóbrega incomoda a emissora líder.

Nessa entrevista exclusiva, feita por meio de uma troca de mensagens diretas em uma rede social, Tatá Werneck fala sobre a sua relação com o concorrente direto e analisa as razões pelos quais o programa alcançou um sucesso tão grande.

Antes do bate-papo propriamente dito, este jornalista pede licença para fazer uma observação: em vários anos cobrindo entretenimento e universo de famosos, poucas vezes me senti tão acolhido. Além do senso de humor e raciocínio rápido, Tatá Werneck foi de uma gentileza ímpar. Merece tudo o que conquistou!

RD1 – Tatá Werneck é considerada uma das profissionais mais versáteis da atualidade. Além do Lady Night, também atua em novelas e filmes. De todos os trabalhos que você já fez, quais foram os mais marcantes?

Tatá Werneck – Obrigada pelas palavras. Passe o Natal conosco. Aprendi em todos os trabalhos. Mas acho que minha entrada pra MTV mudou minha vida. A partir dali eu consegui ver que meu trabalho começava ser visto. E que nem tudo estaria perdido (risos).

Quando entrei na MTV, já fazia teatro há 17 anos. Era puro amor e investimento. Uma relação visceral de entrega à arte, mas sem nenhum retorno que pudesse me fazer acreditar que viveria do meu trabalho.

Mas, a partir daquele momento, meus sonhos começaram a se realizar. Depois, minha ida para a Globo em 2013, fez com que eu fosse mais feliz do que poderia imaginar. Continuei fazendo tudo com amor e trabalhando como se quisesse realizar tudo de novo. Quem acha que já conseguiu, não entendeu nada.

RD1 – Um dos motivos para o sucesso do Lady Night são as revelações inusitadas que você consegue extrair dos convidados. Como eles reagem às perguntas pouco convencionais? Você combina algo com antecedência ou eles realmente são pegos de surpresa?

Tatá Werneck – Nada combinado. Só explico o mínimo para os convidados, como algum jogo específico. O resto só ficam sabendo na hora. E, normalmente, acontece a mesma coisa com todos eles: as histórias que eu já ouvi falar que eu tenho certeza que falarão, eles não comentam.

E me surpreendem com novas histórias. Acho que os convidados se expõem, pois confiam na licença poética do nosso encontro. E porque eu me exponho muito mais.

RD1 – Muitas estrelas do primeiro escalão já passaram pelo sofá do programa. Como é feita a seleção dos convidados? Uma prova do reconhecimento do programa é a liberação de vários artistas da concorrência…

Tatá Werneck – Fico tão tão feliz! Eu chamo pessoas com que eu gostaria de conversar abertamente. Ou que adoraria ver num lugar onde nunca vimos. Eu acredito que o Lady Night coloca as pessoas num lugar de entrega muito interessante e muito generoso. Sou muito grata aos meus convidados.

Tatá Werneck
Comandante da Praça, Carlos Alberto já participou do Lady Night (Imagem: Reprodução / Multishow)

RD1 – A Globo aposta alto no Lady Night, escalando-o em uma faixa disputada, onde A Praça é Nossa já se consolidou e tem público cativo. Você chegou a receber algum feedback da direção da emissora? 

Tatá Werneck – Eu sempre admirei muito A Praça é Nossa. Carlos Alberto e eu ficamos amigos. É um programa muito popular e tradicional, pelo qual tenho muito respeito. E entrar nesse horário tão historicamente disputado não foi fácil, mas graças a Deus fomos super bem.

Tivemos um feedback maravilhoso, tanto é que eles aumentaram duas vezes a temporada passada e esse ano pediram de novo. Estou muito feliz. O Lady Night é o programa de maior repercussão na internet da Globosat. E foi a primeira vez que um programa da Globosat foi para a Globo. Eu agradeço demais aos responsáveis!

RD1 – Há alguns nomes pretendidos ou confirmados para a próxima temporada que você possa adiantar? Quando recomeçam as gravações?

Tatá Werneck – Devemos começar a gravar em maio, mas eu começo a preparar tudo em março. Vamos chamar todo mundo. As pessoas que não foram na temporada passada porque passei mal durante a gravidez e as novas. Ou seja: falei, falei e não respondi nada (risos).

Piero Vergílio é jornalista profissional desde 2006. Já trabalhou em revistas de entretenimento no interior de SP e teve passagens pelo próprio RD1. Em tempos de redes sociais, criou um perfil (@jornalistavetv) para comentar TV pelo Twitter e interagir com outros fãs do veículo. Agora, volta ao RD1 com a missão de publicar novidades sobre a programação sem o limite de 280 caracteres.
WordPress Lightbox