Sem provas, Bolsonaro acusa a Globo de corrupção: “Para ajudar o PT”

Bolsonaro
Jair Bolsonaro surpreende com acusação contra a Globo (Imagem: Reprodução / TV Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a fazer acusação contra a Globo nesta semana. Ao desembarcar rumo ao Peru, o chefe do Executivo fez uma série de declarações aos repórteres que o aguardavam.

publicidade

Na conversa com a imprensa, o mandatário foi questionado sobre os gastos com o cartão corporativo e criticou a emissora carioca. O comentário dele foi feito por causa da notícia do jornal O Globo sobre os supostos valores exorbitantes gastos pelo mandatário.

“A TV Globo falou que eu e meus filhos gastamos horrores no cartão corporativo. (…) O meu gasto, que eu estou aqui hoje, tem peso no cartão corporativo. Minha viagem ao Suriname, tem despesas. E eu viajo, né? Diferente de outras pessoas, que não viajavam porque não tinham nada para fazer”, declarou o presidente.

publicidade

Veja Também

Em seguida, Bolsonaro destinou as suas críticas à família Marinho, dona da emissora carioca: “A família Marinho foi discutir sobre corrupção, que o Tacla Duran em delação premiada falou que entregava para a Família Marinho lá no no estacionamento no Rio de Janeiro, do Jardim Botânico, uma coisa fantástica…”.

“Foi mais de um bilhão de vários anos para a família Marinho, isso é corrupção. Foi para ajudar o PT, para fazer propaganda do governo na época”, completou.

Globo acaba com boicote de Jair Bolsonaro

Mesmo com as ameaças do presidente contra a emissora, inclusive em relação a não renovação da concessão pública da emissora, que vence em outubro, o que o “capitão” diz não se escreve. Enquanto ele massacra a rede de TV, seu governo dá milhões para ela.

Em 2021, de acordo com dados da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, a Secom, a Globo colocou no bolso R$ 65,5 milhões em verba publicitária do governo federal, e assim roubou o primeiro lugar da Record, a TV mais querida de Bolsonaro, que ficou com R$ 53,9 milhões do bolo.

publicidade

Em 2020, a emissora do bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal, tinha R$ 59,2 milhões da verba disponibilizada pelo governo, enquanto a empresa da família Marinho tinha “apenas” R$ 51,9 milhões.

O SBT ficou em terceiro lugar nas duas ocasiões. Em 2020, a rede de TV de Silvio Santos tirou do governo R$ 49 milhões. No ano passado, o valor foi maior: 52,3 milhões.

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

publicidade
Luiz Fábio AlmeidaLuiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email luizfabio@rd1.com.br