Thiago Gagliasso diz que ficou pobre na pandemia e expõe como conheceu Bolsonaro

Thiago Gagliasso
Thiago Gagliasso falou sobre como conheceu Bolsonaro (Imagem: Reprodução / YouTube)

Thiago Gagliasso voltou a lembrar da polêmica em que se envolvendo nas eleições de 2018, após briga com seu irmão, Bruno Gagliasso, e a cunhada, Giovanna Ewbank. Em entrevista ao 4TalkCast, o ator comentou que não sabia quem era Jair Bolsonaro (sem partido).

“Eu não sabia nem quem era o Bolsonaro, se pá [sic] deve ter entrevista minha com Rica Perrone falando que preferia o Lula. Eu vivia em outro mercado. Quando eu apanhei [por ser contra ao #EleNão] e veio a polarização da política, eu falei: ‘Cara, rompi. Se eu não estudar, não entender o que está acontecendo, deu ruim pra mim'”, iniciou o famoso.

Thiago, então, lembrou tudo o que perdeu após a situação: “Então, teve esse engajamento e eu perdi todos os meus seguidores. Na época, eu tinha uns 250 mil seguidores, que eram muito do Bruno e da Giovanna. Eu apanhei de tudo quanto era jeito. Eu falei: ‘Acabou minha vida’. Minha mãe desesperada, patrocinador acabou… E eu comecei a viralizar em outros grupos de direita”.

“Na hora que você está apanhando de todo mundo, quem faz um carinho em você… Meu pai, meus amigos e empresários estavam numa vibe de vamos melhorar o Brasil. E aí eu fui viralizando e viralizando. Eu fui estudando mais e seguindo o meu caminho“, ressaltou ele.

O ator, então, comentou que em 2019 entrou em secretaria da Cultura do estado do Rio de Janeiro, mas saiu depois as acusações envolvendo o Governo Witzel.

“Eu trabalhei um ano na cultura [no estado do Rio de Janeiro], o governo Witzel começou a fazer umas loucuras e eu saí de fininho. Eu fiz o nosso camarote em 2020 e aí veio a pandemia, fechou tudo. Acabou o meu setor, que é entretenimento. Eu fique pobre, literalmente”, confessou ele.

Em seguida, Thiago Gagliasso comentou como conheceu pessoalmente Bolsonaro: “O deputado federal Carlos Jordy me ligou em setembro do ano passado e disse que: ‘Quer ir para Brasília conhecer o presidente?’. Já estou na chuva mesmo, fui lá”.

“Quando eu conheci o presidente na primeira vez ele foi super grosso, nojento. Eu conheci ele num lugar que não era nem para eu estar, numa reunião em que eu fui com o Jordy. Ele foi muito grosso comigo. Eu vislumbrei algo… Eu fiquei mal”, garantiu.

“Aí pensei: ‘Cara, eu perdi contratados por causa desse filho da mãe, esse genocida’. […] Na noite, o Jordy me mandou um áudio do presidente falando assim: ‘Pede para aquele garoto, irmão do Bruno Gagliasso, que eu não dei a devida atenção a ele, que voltando a Brasília venha para eu bater um papo legal com ele'”, completou ele, aos risos.

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser através do email [email protected]
Veja mais ›