Viúva de Chorão conta motivos que levaram o cantor à depressão e à morte

Chorão morreu em 2013
Chorão morreu em 2013 (Imagem: Reprodução)

Graziela Gonçalves, viúva de Chorão, está lançando a biografia do ex-vocalista do Charlie Brown Jr. O livro, que se chama “Se Não Eu, Quem Vai Fazer Você Feliz”, conta o perfil do cantor pelo olhar da esposa e revela a relação do artista com as drogas.

O roqueiro morreu em 2013 aos 42 anos, em decorrência de uma overdose de cocaína. Segundo Graziela, o estopim da desestabilização emocional foi em 2012, quando Alexandre, nome de batismo, se frustrou por não ter realizado um antigo sonho, o de se tornar bombeiro.

Nos últimos anos, a preocupação com o humor dele já tinha se tornado uma constante na minha vida. Apesar do retorno recente e bem-sucedido da formação antiga do Charlie Brown Jr (depois de uma briga que se tornou pública), com uma agenda cheia de shows para cumprir, o estado de espírito dele era a insatisfação permanente (…) ‘Quero fazer alguma coisa que me preencha, que me faça sentir vivo de novo’, ele tinha me dito poucos dias antes (…). Com essa ideia na cabeça, o Alê saiu naquela tarde e foi até o Corpo de Bombeiros, perto do prédio onde moramos em Santos (…) Ele voltou para casa depois de algum tempo, com o rosto molhado das lágrimas que ainda caíam. O Alê descobriu que existe uma série de procedimentos e exigências para ser bombeiro. Uma delas era a idade, que ele já tinha ultrapassado (…) O Alê, que todos conheciam como Chorão, tinha alcançado tudo o que um dia sonhara para a sua vida. No entanto, nunca havia se sentido tão infeliz”, escreveu a viúva no livro.

Em 1998, a escritora relembrou que após passarem por uma fase difícil, a situação financeira melhorou e eles se mudaram para São Paulo, onde viveram um ótimo momento na relação, e o roqueiro começou a estudar livros de espiritismo. “Alê começou a sentir necessidade de mudar alguns padrões de comportamento para alcançar o que desejava. Ele começou a se interessar cada vez mais pela lei de causa e efeito e passou a acreditar em reencarnação. Em meio a tudo isso, a mudança nas suas letras ficava evidente”.

O casal, que nunca teve filhos, após a esposa sofrer um aborto espontâneo, se separou por um período, porém, um mês depois, voltou e o cantor pediu a namorada em casamento, que aconteceu em 2003.

Em 2012, pelo uso de drogas, Chorão começou a ter variações de humor e entrar em crise, pelo que vinha produzindo musicalmente. “Apesar de não admitir, ele já tinha se tornado um dependente químico há muito tempo. O vício trazia à tona seu lado mais sombrio. Ele ficava muito paranoico, tomado por pensamentos ruins o tempo todo (…) As crises eram tão intensas que ele sofria com surtos e mania de perseguição”, conta. O esposa chegou a acompanhar o vocalista em tratamentos médicos, mas o processo não durou muito tempo.

Alguns dias após uma das crises mais graves do artista, Graziele conta no livro que teve um sonho. “Alexandre estava diante de mim e atrás dele havia um vulto bem alto e escuro. Ele me diz que iria viajar, que não aguentava mais e que precisava partir (…) Despertei de repente, com o som da campainha tocando sem parar (…) Quando abro, dou de cara com minha mãe e Mariela chorando. ‘O Alê, filha…’.”

Com informações do jornal Extra.

Saiba Mais:

Irmão de Chorão dispara contra ex-mulher do cantor: “Foi flagrada transando com o amante no carro”

Filho de Chorão desabafa: “Os fãs perderam o Chorão, eu perdi meu pai”

AvatarDa Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›