Walcyr Carrasco revela que briga com Aguinaldo Silva envolveu direção da Globo: “Fui achincalhado”

Walcyr Carrasco
Walcyr Carrasco contou que não mantém amizade com Aguinaldo Silva desde que foi acusado de plágio pelo ex-colega (Imagem: Reprodução / Gshow)

Durante uma live transmitida pela revista Caras no Instagram, Walcyr Carrasco revelou detalhes de sua briga com Aguinaldo Silva em 2011. O autor foi acusado pelo colega de emissora de plagiar a trama de Griselda (Lilia Cabral), de Fina Estampa, em Morde & Assopra, por meio da personagem Dulce (Cássia Kiss), que assim como Pereirão era maltratada e enganada pelo próprio filho.

Embora reconheça as semelhanças entre as duas novelas, Carrasco culpou a direção da Globo por não perceber as coincidências entre os dois projetos, e conta que só foi procurado pela cúpula da emissora para resolver o problema duas semanas antes de estrear o folhetim das 19h, e que tentou, sem êxito, negociar pessoalmente a situação com Aguinaldo.

“Essa questão eu sou objetivo: eu entreguei minha sinopse e ele entregou a dele. A pessoa [Manoel Martins] que estava lá, que não está mais na Globo inclusive, por algum motivo não falou das semelhanças. A minha novela estreou antes da dele, mas quando estava pra estrear, eu fui procurado às pressas porque a dele tinha uma história parecida. Mas aí eu iria estrear a novela em duas semanas, não dava pra mudar a história”, revelou.

“Tinha coincidências absurdas, eu juro que são coincidências da minha parte e da parte dele certamente também. O que aconteceu? Eu estreei antes. O Aguinaldo sabia que a Globo deveria ter visto as semelhanças. E aí antes, eu fui jantar com ele e falei: ‘Olha, tá acontecendo isso, temos semelhanças, o que podemos fazer em termos de encaminhamento pra ficarmos mais diferentes possível?’. E combinamos várias ações”, contou.

Walcyr detalha que, assim que Morde & Assopra estreou, em março de 2011, ele foi “achincalhado” na imprensa pelo ex-amigo, que por sua vez só estrearia Fina Estampa cinco meses depois, e acredita que o desafeto tenha tido um “lapso de memória” ao fazer as acusações de plágio.

“Como seria plágio se eu estreei antes? Se a sinopse estava lá… E tinha tido uma combinação, até então a gente era amigo. Eu até acredito que ele, por um lapso de memória, acredite que me contou a história [de Fina Estampa], mas ele não tinha me contado. Ele tinha me contado que era a história de uma mulher que fazia trabalhos tipicamente masculinos. Foi ficando uma situação muito desconfortável e eu, finalmente, levei a direção da Globo e falei: ‘não dá pra ser achincalhado todo dia na imprensa como ladrão de uma história que entrou antes. Se a minha entrou antes, como eu peguei a dele?”, reclamou.

Apesar da confusão, Walcyr contou que não guarda mágoas do autor que foi recentemente demitido da Globo. “Eu acho o Aguinaldo um grande autor. Agora que ele saiu da Globo, eu acho que ele vai fazer falta porque ele escreve muito bem. Ele escreve sucessos, eu reconheço isso. O que não dá é pra trocar confidências e ficar amiguinho”, ponderou Carrasco, que elegeu Tieta (1989) como a novela mais marcante de Silva.

CONTINUE LENDO →

Daniel Ribeiro cobre televisão desde 2010. No RD1, ao longo de três passagens, já foi repórter e colunista. Especializado em fotografia, retorna ao site para assinar uma coluna que virou referência enquanto esteve à frente, a Curto-Circuito. Pode ser encontrado no Twitter através do @danielmiede ou no danielribeiro@rd1.com.br.