Além de Verdades Secretas, Walcyr Carrasco prepara novo trabalho na Globo

Walcyr Carrasco
“Casados”, Amora Mautner e Walcyr Carrasco repetirão parceria em novo trabalho (Imagem: Divulgação / Globo)

Enquanto escreve a continuação de Verdades Secretas para o Globoplay, Walcyr Carrasco está desenvolvendo um novo projeto na Globo, que também terá a direção-geral de Amora Mautner, sua parceira desde A Dona do Pedaço (2018).

Durante uma live com o autor nesta quinta-feira (25) pelo Instagram, a diretora comentou que está “casada” com Carrasco e deixou escapar um novo trabalho entre eles na TV, além da história de Angel (Camila Queiroz) e de uma peça de teatro que a dupla está produzindo.

Questionado pela amiga como consegue conciliar tantos projetos, o autor desconversou e disse apenas que gosta de trabalhar muito. “Eu tive a sorte de desde muito pequeno resolver ser autor, então é uma coisa que eu sempre soube e sempre gostei. A gente não trabalha, a gente se diverte”, respondeu Walcyr, que também está aproveitando a quarentena para colocar em dia as obras de Dostoiévski e se aperfeiçoar no inglês.

Durante o bate-papo, a dupla também conversou sobre técnicas de atuação e Walcyr confidenciou que algumas atrizes veteranas utilizam alguns recursos, como a pausa dramática, para aparecer mais tempo em cena.

“Amora, deixa eu fazer uma fofoquinha com você. Pausa demais na televisão, algumas atrizes mais antigas têm esse hábito que é pra segurar a câmera no rosto delas. […] Porque enquanto ela está falando, a câmera está olhando pro rosto dela e ela está ganhando close”, revelou.

“Eu sei, eu falava pra elas assim: ‘tá tendo algum problema?’. Não há motivo, porque a pausa é um valor que você está dando. Se você dá valor a muitas coisas em uma frase, ela não tem valor algum”, respondeu Mautner, ponderando que já teve problemas com atores nos bastidores, mas que eles foram resolvidos com diálogo.

A falta de representatividade nas novelas também foi assunto na conversa. Amora comentou que há milhares de atores negros talentosos e que eles precisam de mais oportunidade na dramaturgia.

“A gente tem que cada vez mais dar espaço, de todas as formas. Como diz meu pai, falta a segunda abolição da escravatura. A gente está vivendo muitas transformações, eu acho muito importante em relação a esse entendimento, do racismo que é escondido, do racismo que não é o claro, tem que acabar com qualquer forma”, afirmou.

PRÓXIMA MATÉRIA→

Daniel Ribeiro cobre televisão desde 2010. No RD1, ao longo de três passagens, já foi repórter e colunista. Especializado em fotografia, retorna ao site para assinar uma coluna que virou referência enquanto esteve à frente, a Curto-Circuito. Pode ser encontrado no Twitter através do @danielmiede ou no danielribeiro@rd1.com.br.

RECEBA NOTIFICAÇÕES GRÁTIS