Ana Maria Braga se pronuncia sobre fala racista na Globo e pede perdão ao vivo

Ana Maria Braga pede perdão ao vivo (Imagem: Reprodução / Globoplay)

Ana Maria Braga foi bastante criticada na internet por conta de uma expressão racista que disparou ao vivo no Mais Você, da Globo, na última quarta-feira (22), porém, no dia seguinte, ela fez questão de se redimir.

Tudo começou quando a apresentadora disse sentir uma “inveja branca” de um repórter da atração, mas o termo é considerado racista, pois insinua que a inveja (negativa) é “negra”, enquanto a “branca” é algo positivo.

Na edição desta quinta-feira (23), porém, ela fez questão de se desculpar e disparou:

“Eu fiz um comentário sobre inveja, e teve gente, principalmente da comunidade negra, que se sentiu ofendida. Eu li os argumentos na internet e quero agradecer porque eu vi que as pessoas tem razão”.

“Pessoas que têm um R.G. mais antigo, como meu, às vezes usam algumas expressões que fizeram parte de um outro mundo, um outro momento. Eu faço questão de voltar aqui e pedir desculpas”, explicou.

“Porque eu vejo uma oportunidade para todos nós de aprendizado para que sumam esses vícios de linguagem. Peço desculpas novamente, não se repetirá”, finalizou a loira, que recebeu elogios na internet.

A situação teve início quando Fabrício Battaglini mostrava ao vivo uma plantação de girassol em Cerquilho, no interior de São Paulo. A loira acabou deixando claro tudo o que estava sentindo ao ver a cena.

“Tem alguns momentos, não quando vocês passam perrengues, eu fui repórter de rua durante muito tempo e morro de inveja, inveja boa, inveja branca de estar aí onde está. Você aí e eu aqui hoje, que lindas”, declarou a famosa.

O termo, cabe ressaltar, é considerado racista por associar a ideia de algo positivo com o branco a uma coisa boa. Com isso, se a inveja é algo ruim, ao ser branca ela é suavizada.

No Twitter, então, Ana Maria foi criticada. Em março, a global, que é branca, já se retratou por usar a falsa ideia de “racismo reverso” ao citar o BBB 2021 e romantizar a miscigenação no Brasil.

No dia seguinte, ela usou seu programa para pedir desculpas e também chamou uma ativista negra para explicar o porquê o racismo reverso não existe.

A convidada ressaltou que ele é uma relação de poder e quem foi escravizado por mais de 300 anos no Brasil foram os negros sequestrados de África, e não a população branca.

Confira a repercussão:

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›