Antonia Fontenelle reage contra grave acusação, culpa Juliette e detona vereador

Antonia Fontenelle
Antonia Fontenelle desabafou contra grave acusação de xenofobia (Imagem: Divulgação)

Antonia Fontenelle postou um vídeo em seu canal no YouTube para se defender da grave acusação de xenofobia que está sofrendo. A apresentadora ainda falou a respeito da abertura de uma investigação feita por um delegado na Paraíba contra ela.

Segundo a famosa, a atitude “é uma covardia”, após a instauração de um inquérito devido ao uso de “expressões aparentemente preconceituosas e xenofóbicas” por parte da famosa ao tecer comentários sobre o caso DJ Ivis, preso por agressão a mulher.

A investigação foi aberta pelo delegado Pedro Ivo, da 1º Delegacia Seccional da Polícia Civil da Paraíba. No vídeo, ela disse estar sendo vítima de injustiça, e atribuiu essa comoção à vencedora do BBB 2021, Juliette Freire.

“Esse delegado da Polícia Civil de João Pessoa instaurou um inquérito policial para apurar um possível crime de racismo praticado por mim. Eu não cometi crime nenhum. Isso tá mais que óbvio. É uma covardia o que estão fazendo comigo desde que eu usei a palavra ‘paraíba’ para o DJ Ivis, agressor de mulher. Isso graças à campeã do’BBB'”, iniciou a atriz.

Antonia Fontenelle também disse que o delegado que está à frente da investigação chegou a retuitar uma notícia sobre o caso, e ela respondeu “dizendo que denunciação caluniosa é crime”. A famosa disparou que também é nordestina, mas que não faz “barulho” apenas no Nordeste.

“Faço barulho no Brasil inteiro. Sou respeitada no Rio de Janeiro. Políticos entram na minha casa pedindo voto. E não estou falando de vereador não, hein?! O senhor, que estudou pra isso, deveria saber o significado da palavra ‘xenofobia’. Se o jogador Hulk Paraíba pode ser chamado de Paraíba e o DJ paraibano não pode ser chamada de ‘paraíba’… O Hulk não tem o nome de ‘Paraíba’ na certidão de nascimento“, justificou.

A youtuber ainda relatou que vendo sendo alvo de ataques e xingamentos por pessoas a chamando de “put* e vadi*”, e que, por isso, não vai “se ajoelhar” e pedir perdão.

“Quando estou errada, eu vou lá e faço [pedir desculpas]. Mas não venham tentar fazer política com o meu nome que eu não vou permitir. Pra me apontar o dedo vai ter que ter currículo ilibado. Não sabe o que é? Dá um Google. Vocês não estão falando de uma loirinha nutella, não. Tá falando com uma nordestina raiz. Não vou pedir perdão de um crime que não cometi. Não esperem isso de mim”, completou.

Ao vereador Marcílio Pedro Siqueira Ferreira, Fontenelle disparou: “Esse quer holofote a todo custo. Quer mostrar serviço político em cima da minha audiência. Que moral você tem para mover qualquer ação contra mim? Que moral que você tem para entrar na Câmara dos Vereador, que inclusive você está processando, para que os vereadores assinem que sou uma persona non-grata na Paraíba? Você fez uma cagada monstra, explanou meu CPF por aí. É crime”.

“E se é crime logo terão que pagar por isso. Você é tão imoral que você já foi despejado por falta de pagamento. Olha, é longa [a história], se eu for falar aqui é muito longo“, completou.

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

MAIS LIDAS

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email [email protected]
Veja mais ›