Após 31 anos, Neto alfineta técnico da Seleção de 90 e agradece não convocação

Neto
Neto desabafa sobre não ter sido convocado por ex-treinador para a Copa de 1990 (Imagem: Reprodução / Band)

Neto fez um desabafo engasgado há pelo menos 30 anos, época em que era um dos principais jogadores do país. Atualmente como apresentador dos principais programas esportivos da Band, o apresentador falou sobre o ex-técnico da seleção brasileira, Sebastião Lazaroni.

O ídolo do Corinthians disse que nunca teve a oportunidade de participar de uma Copa do Mundo e lembrou que foi melhor jogador do país no início dos anos 1990:

“Eu nunca tive a oportunidade de ir para uma Copa do Mundo. Eu tenho certeza que em 1986 e 1990 e até 1994 eu deveria ter sido convocado para disputar uma Copa do Mundo. Eu fui o melhor jogador de 1990 e 1991. Em 86 eu estava entre os convocáveis [da seleção]”.

O contratado da Band lembrou de um comentário feito por Lazaroni sobre sua vida fora dos campos. “O Lazaroni disse que eu sou um balão japonês. Graças a Deus, eu sou um balão japonês, porque todos os japoneses têm a paciência e a sabedoria das coisas que acontecem na vida da gente”, refletiu.

Segundo Neto, o ex-técnico foi muito ruim, mas ao mesmo tempo foi essencial para uma guinada em sua vida na TV. “O Lazaroni foi tão ruim comigo que ele não sabe o bem que ele fez para mim”, disse.

“Ele não ter me levado para a Copa de 90 me fez um bem danado, porque me tornei um dos caras da televisão, programa de televisão, rádio, a minha rádio Craque Neto, rádio Bandeirantes, Os Donos da Bola, Baita Amigos”, enumerou.

“O Lazaroni, não sei nem se foi campeão brasileiro, nem sei se tem um título. Lazaroni, você fez um bem para mim, que eu me tornei uma pica na televisão”, disparou.

Segundo a teoria do craque, o chute de Lazaroni rendeu sua vitória no mundo da TV ao longo dos anos e, pelo visto, a visão se fez verdade. Semana passada ele teve uma prova.

O apresentador explicou conversou com Johnny Saad, presidente do Grupo Bandeirantes, que ofereceu a ele um novo cargo: comentarista de Fórmula 1. “Encontrei o Johnny Saad ontem aqui, fazia uns seis meses que eu não via ele e falou: ‘Neto, você vai comentar’. Falei: ‘tô dentro'”, contou.

Confira:

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

Paulo CarvalhoPaulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email paullocarvalho19@gmail.com.
Veja mais ›