Após polêmica, Sérgio Reis chora, defende Bolsonaro e pede por ato de bolsonaristas

Sérgio Reis
Sérgio Reis tomou atitude sobre polêmica envolvendo Bolsonaro (Imagem: Reprodução / Instagram)

Sérgio Reis causou polêmica no último final de semana após a repercussão de áudios onde defende golpe de estado no Brasil. Na gravação, inclusive, ele disse que contava com o apoio de caminhoneiros para “parar o Brasil”. Após toda a situação, o sertanejo surgiu chorando.

Em uma live, realizado no domingo (15), com o influenciador bolsonarista Oswaldo Eustáquio, o cantor negou que tenha pedido o fim do STF. Ele ainda disse que o seu pedido era favorável à investigação dos ministros, a partir do pedido do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que anunciou que nesta semana entregará pedidos de impeachment de membros da corte.

“Eu não pedi que acabasse com nada, pedi que esses impeachment fossem estudados”, declarou o famoso, em trecho da live que viralizou na noite desta segunda-feira (16). O cantor ainda se emociona e chora em determinado momento do vídeo.

Sérgio Reis aproveitou e voltou a defender o povo nas ruas no dia 7 de setembro em apoio ao presidente da República. “Se o povo não for para as ruas no dia 7 de setembro, Brasília não vai fechar, então não vai adiantar nada. O Exército não pode fazer nada, o presidente não pode fazer nada, e nós não podemos fazer nada. Nós estamos fazendo a nossa parte”, declarou.

Ainda na entrevista, ele saiu em defesa do político e disse que Bolsonaro representa a vontade popular. “Falam que o Bolsonaro é grosso. Ele fala o que o povo quer falar. O povo não tem como chegar lá e falar. Se fala, às vezes mandam prender. Eu nunca agredi ninguém e não quero também. Mas vou pedir que a família vá para a rua”, disse.

Após a circulação do áudio, o músico Gutemberg Guarabyra, da dupla Sá e Guarabyra, desistiu da participação que faria no próximo disco de Sérgio Reis. Pelo Twitter, o músico avisou a recusa do convite.

“De Sérgio Reis, sempre tive enorme admiração pelo trabalho, bom gosto, extrema musicalidade”, escreveu Guarabyra na rede social. “No disco dele que irá sair, inclusive participaria em uma faixa, gravação dele de Sobradinho. Mas me considero incompatível com seu posicionamento atual e infelizmente declino o convite”, disse.

Em uma publicação na rede social, Guarabyra ironizou Sérgio Reis. “Agenda. Depois de salvar o país em setembro, em outubro Sérgio Reis será enviado ao Haiti. Resolvidas as coisas por lá, deverá seguir em novembro para o Afeganistão, caso a OTAN não tenha se mexido para estabilizar o país até lá”, escreveu.

MAIS LIDAS

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email [email protected]
Veja mais ›