Armando Babaioff expõe teste de elenco que exigia ter mais de 10 mil seguidores

Armando Babaioff
Armando Babaioff divulga teste de elenco (Imagem: Reprodução / Globo)

Armando Babaioff continua causando por conta das suas publicações no Twitter e, em uma delas, resolveu divulgar um anúncio polêmico de um teste de elenco que teve acesso recentemente.

Na ocasião, os responsáveis colocaram como pré-requisito “ter mais de 10 mil seguidores” nas redes sociais, como se o trabalho fosse voltado apenas para influenciadores digitais:

“Isso aqui é o resumo do que virou a profissão de ator. Um teste de elenco que exige que as atrizes tenham mais de 10k seguidores. Às vezes me bate uma sensação ruim e me pego pensando que a nossa profissão já não existe mais, e há muito tempo. O que viramos?”.

“Muito triste, amigo!! Até de pensar sobre…”, lamentou Regiane Alves, em resposta. O ator, então, respondeu:

“Muito triste ver esse movimento acontecer. As temporadas diminuírem de tamanho e de dias da semana. O desinteresse do público em artes. Likes, likes, likes. Uma série após a outra. Um consumo desenfreado apenas para ocupar um vazio. Não sei o que esperar de um futuro.”

“Pra ser ator agora tem que arrastar pra cima”, brincou Marcelo Adnet. “Putz, que horrível isso”, disparou Marcos Veras. Os internautas também se juntaram a eles no desabafo.

Dias antes, Armando Babaioff já havia tido uma discussão acalorada com um de seus seguidores, após o ator fazer um apelo em seu Twitter para que o público pague por entradas inteiras quando forem ao teatro.

“Não custa falar… Mas quando o teatro voltar às atividades, não pede ingresso, não. Ajude os artistas. Sempre vai ter um ingresso com desconto, lista amiga, meia-entrada, mas, se puder, pague inteira, vai ajudar muito”, escreveu.

Foi aí que um internauta rebateu Babaioff e alegou não concordar com o conteúdo da postagem:

“Tá de sacanagem, né? O cara já tem dificuldade pra pagar uma meia-entrada (que não é barato) e, aí, vai pagar a inteira pra ‘ajudar’ o artista”.

O global, posteriormente, rebateu: “Tem um ‘se puder’ escrito. E outra, esse é o meu emprego e o de muita gente. O que tem de errado em trabalhar? Não entendi”.

O usuário da web, por sua vez, continuou a defender seu ponto de vista:

“Não tem nada de errado em trabalhar e cobrar pelo trabalho (inclusive). E nada de errado em pagar a inteira ou até o dobro, triplo pela entrada (cada um gasta seu dinheiro como quer, né). Agora, fazer ‘campanha’ pra galera pagar inteira, ao invés de meia, é ser muito fora do mundo real”.

“É só um pedido a quem puder pagar. Não tô obrigando ninguém. É um pedido. Peça pra pagar meia cerveja num bar da próxima vez. Cara chato da porra”, revidou Armando Babaioff.

“Ah, jovem. Se f*der com seu pedido. Deixe entrada franca na próxima. ‘É só um pedido’. Cuzã*”, esbravejou o seguidor, sem paciência.

“Se for subsidiado ou patrocinado, sim. Não vejo problema nenhum. Enquanto eu for o produtor e o patrocinador dos meus projetos, continuo fazendo esse pedido, não posso e nem quero proibir a meia-entrada, é um direito. Por isso faço um pedido. Você é burro ou e só mau-caráter mesmo? Você não me conhece. Está querendo o quê? Chamar a atenção?! Babaca”, finalizou Armando.

Confira:

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›