Arthur Nory se pronuncia sobre caso de racismo após ataques na web

Arthur Nory
Arthur Nory causou polêmica ao fazer comentários preconceituosos contra o colega Angelo Assumpção (Imagem: Reprodução – Instagram / Montagem – RD1)

O ginasta Arthur Nory usou o perfil no Twitter para desabafar. O atleta foi atacado nas redes sociais após internautas relembrarem o caso de racismo em 2015. Na ocasião, ele e outros ginastas surgiram em vídeos fazendo comentários preconceituosos contra o colega de equipe Angelo Assumpção.

No microblog, Nory desabafou: “É normal tanto xingamento, ódio e desejar o mal aqui no Twitter?“. A cantora Valesca Popozuda, então, aproveitou para mandar um recado ao atleta, que está em Tóquio para competir nas Olimpíadas:

“Não é. Mas quando a gente erra, é melhor assumir o erro e pedir desculpas. Porque aqui no Twitter ninguém passa pano mais não. Vamos melhorar o discurso e assumir os erros. Beijos e boa sorte”.

Arthur, que, na época do ocorrido, disse que se tratava de uma brincadeira, mas, em setembro de 2020, admitiu o erro e afirmou que se sentia envergonhado, respondeu:

“Eu errei e eu assumi. Paguei por ele e, até hoje, pago por isso! Nunca escondi meu erro e sempre busquei conhecimento para me tornar uma pessoa melhor. Eu não sou o mesmo de cinco anos atrás”.

Após o episódio, o famoso deletou o perfil no Twitter. Em outro desabafo no Instagram, Arthur se pronunciou sobre o assunto após receber críticas por ter ganhado uma reportagem especial sobre ele no programa Esporte Espetacular.

Há muitos anos atrás cometi um ato RACISTA, era imaturo e não tinha noção do que minha atitude poderia desencadear, isso não isenta minha culpa de forma alguma, mas acho importante pontuar. Fui punido e, hoje, convivo com todas as consequências da minha fala”, iniciou o competidor olímpico.

Sinto-me mal e tenho vergonha de minha atitude RACISTA. Mas, sim, fui punido e, ainda, sou punido a todo instante por algo que cometi há 5 anos. O TEMPO NÃO APAGA A GRAVIDADE DO QUE FIZ, mas, sem dúvidas, ele modificou-me enquanto ser humano. Hoje, não sou mais o Arthur de 5 anos atrás. Agora, eu luto e não compactuo com atitudes com as quais outrora tive”, prosseguiu.

Todavia, gostaria de chamar atenção de todos aqueles que destilam ódio contra mim: as pessoas PODEM SIM APRENDER COM SEUS ERROS, se não fôssemos capazes de mudar, não haveria sentido na nossa existência. Minha fala hoje é um grito de desespero, muito profundo e sincero. O desespero de uma pessoa que reconhece a gravidade do que fez e NUNCA MAIS REPETIU UMA ATITUDE GRAVE COMO AQUELA. Além disso, concretamente luto por mudanças”, disse ainda.

Em outro trecho do texto, Nory falou a respeito do seu processo de evolução como ser humano: “Reconheço tudo aquilo que fiz, mas peço: julguem o meu processo de mudança pessoal”.

Fui atrás de entidades que lutam contra o racismo, aprendi e busquei entender o porquê minha fala havia sido tão grave e errônea. Ângelo não foi demitido por minha causa!!! Ademais, após sua demissão fui uma das pessoas que tentou ajudá-lo. Fui atrás dele, pois tenho uma dívida pelo mal que o fizera. Mas, ENTENDAM, eu não sou mais o Nory de 5 anos atrás. EU MUDEI”, ressaltou.

Quantos de nós já cometemos atitudes condenáveis? A diferença é que reconheci todo mal que fiz e busco melhorar a cada dia e me colocar à disposição da luta antirracista. Perdoem-me pelo tamanho do desabafo, mas é o grito silenciado de alguém que apesar de reconhecer que existe uma estrutura a seu favor, não aguenta mais tanto ódio ao longo de todos esses anos!”, completou.

(Imagem: Reprodução / Twitter)

Guinho Santos
Guinho Santos é formado em Jornalismo e escreve sobre o universo das celebridades há dez anos. Reality show, bastidores da TV e novelas também são seus pontos fortes. Além disso, possui experiência como Social Media e apresentador. Seu canal na web é através do Instagram @guinhosantos__.
Veja mais ›