Assim como O Clone, 11 novelas que foram reprisadas duas vezes no Vale a Pena Ver de Novo

Vale a Pena Ver De Novo
Murilo Benício e Giovanna Antonelli foram os protagonistas de O Clone (Imagem: Divulgação / Globo)

Tititi ainda está no ar no Vale a Pena Ver de Novo, mas o próximo título já está definido e será O Clone, originalmente transmitida em 2001 e já reprisada em 2011. Assim como a trama de Glória Perez, outras 11 novelas passaram duas vezes pela faixa vespertina da emissora.

A próxima atração do Vale a Pena Ver De Novo revisita a história da muçulmana Jade (Giovanna Antonelli), que vive um amor “impossível” com o brasileiro Lucas (Murilo Benício). O protagonista teve seus genes guardados, logo depois da morte do irmão, e foi alvo da primeira clonagem humana da história. O choque cultural e até mesmo o problema do vício em drogas é abordado na trama.

A Gata Comeu
Christiane Torloni e Nuno Leal Maia em A Gata Comeu (Imagem: Divulgação / Globo)

A Gata Comeu estreou no ano de 1985, mas pôde ser assistida pelos telespectadores da Globo em 1989 e 2001. A novela de Ivani Ribeiro teve a história de Jô Penteado (Christiane Torloni) como trama principal: uma jovem bonita, rica e mimada que lutava para encontrar o grande amor, mesmo depois de sete noivados. Tudo mudou com a chegada de Fábio (Nuno Leal Maia), um professor viúvo e conservador. Mesmo noivo, o rapaz se apaixonou pela mocinha, ao ficar dois meses “preso” numa ilha deserta com ela, após o naufrágio de uma lancha.

Mulheres de Areia
Gloria Pires interpretou gêmeas em Mulheres de Areia (Imagens: Divulgação – Globo / Montagem – RD1)

Mulheres de Areia foi exibida pela primeira vez em 1993, mas reapresentada em 1996 e 2011. A trama deixou eternas as irmãs — e rivais — Ruth e Raquel (Glória Pires), que moravam com os pais e tinham personalidades distintas. A primeira era doce e cheia de boas intenções, enquanto a segunda era má, egoísta e agressiva. A vilã se aproveitava da semelhança com a gêmea para conquistar o cunhado, o bem sucedido Marcos (Guilherme Fontes). Vale uma lembrança para o memorável Tonho da Lua, interpretado por Marcos Frota.

A Viagem
Christiane Torloni e Guilherme Fontes em A Viagem (Imagem: Divulgação / Globo)

A Viagem, que estreou em 1994, foi marcante ao falar da vida após a morte, seguindo a filosofia espírita de Allan Kardec. O protagonista Alexandre (Guilherme Fontes) era um bandido que morre na cadeia, depois de ser condenado por latrocínio, e passou a infernizar todos aqueles que julga como culpados. O rapaz desajustado ganhava o apoio incondicional de Diná (Christiane Torloni), que contratou os maiores profissionais para defender o irmão caçula. A novela fez sucesso nas reprises de 1997 e 2006.

O Rei do Gado
Patricia Pillar e Antonio Fagundes em O Rei do Gado (Imagem: Divulgação / Globo)

O Rei do Gado mostrou em 1996 o romance entre Bruno Mezenga (Antonio Fagundes) e Luana Berdinazi (Patrícia Pillar). O grande problema é que o latifundiário e a boia-fria pertenciam a famílias rivais de imigrantes italianos, que cresceram no Brasil com criação de gado e plantação de café, fazendo uma grande fortuna. Esse amor difícil pode ser assistido depois em 1999 e 2015.

Por Amor
Regina Duarte e Gabriela Duarte em Por Amor (Imagem: Divulgação / Globo)

Em 1997, Por Amor trouxe uma história que dividia opiniões. Helena (Regina Duarte) foi conquistada pelo arquiteto Atílio (Antonio Fagundes), enquanto a filha Maria Eduarda (Gabriela Duarte) se casou com Marcelo (Fábio Assunção). As duas engravidaram ao mesmo tempo, mas a jovem — sem saber — perdeu o bebê e sua mãe fingiu que a tragédia aconteceu com ela, dando seu filho à herdeira. O conflito ético e genético passou no Vale a Pena Ver De Novo em 2002 e 2019.

O Cravo e a Rosa
Eduardo Moscovis e Adriana Esteves em O Cravo e a Rosa (Imagem: Divulgação / Globo)

O Cravo e A Rosa foi uma comédia romântica do ano 2000, inspirada num dos clássicos de Shakespeare, trazendo o casal icônico Petruchio (Eduardo Moscovis) e Catarina (Adriana Esteves). O caipira rude e a geniosa riquinha viviam discordando de tudo, mas não conseguiam disfarçar a química. A princípio o envolvimento foi por interesse para quitar as dívidas da fazenda herdada pelo pai, e a mocinha entrou nisso pela má recepção aos antigos pretendentes. Em 2003 e 2013 os telespectadores puderam rever essa trama.

Anjo Mau
Kadu Moliterno e Gloria Pires na segunda versão de Anjo Mau (Imagem: Divulgação / Globo)

A segunda versão de Anjo Mau (1977) tem Nice (Gloria Pires) como protagonista, que faz jus ao nome da novela, já que dissimula seu lado malvado aos personagens. A vilã busca ascensão social a todo custo, mas tem a mãe adotiva, Alzira (Regina Dourado) como uma pedra no sapato, já que é a única que nota o lado obscuro da filha. Nice consegue uma vaga de empregada na mansão de Rodrigo Medeiros (Kadu Moliterno) e resolve o conquistar, mesmo ele sendo noivo de Paula (Alessandra Negrini). O folhetim voltou ao vídeo em 2003 e 2016.

Laços de Família
Reynaldo Gianecchini, Carolina Dieckmann e Vera Fischer em Laços de Família (Imagem: Divulgação / Globo)

Laços de Família começou no ano 2000, mas foi reapresentada em 2005 e 2020. Manoel Carlos voltou a trazer conflitos familiares, já que Edu (Reynaldo Gianecchini) primeiro se envolveu com a mãe, Helena (Vera Fischer), e depois se apaixonou pela filha, Camila (Carolina Dieckmann), com quem terminou no final da trama. A matriarca engravidou de Pedro (José Mayer) para salvar a filha da leucemia e daí se descobre que o affair da mãe é seu pai biológico. A prostituição de Capitu (Giovanna Antonelli) também virou assunto.

Chocolate com Pimenta
Mariana Ximenes e Murilo Benício em Chocolate com Pimenta (Imagem: Divulgação / Globo)

Chocolate com Pimenta revelou atores e trouxe cenas icônicas em 2003, com reapresentações em 2006 e 2012. A história se passava na década de 1920, numa cidade fictícia em que a fábrica de chocolates e bolos de Ludovico (Ary Fontoura) se tornou um polo econômico. Ana Francisca (Mariana Ximenes) era uma jovem humilde, ingênua e romântica, que foi acolhida pelo empresário — após rejeições e chacotas — que se casou com ela, fazendo ela herdar a fábrica, voltando rica e ainda mais linda para Ventura, viver uma história de amor com Danilo (Murilo Benício), com quem teve um filho antes disso tudo.

Da Cor do Pecado
Reynaldo Gianecchini e Taís Araújo em Da Cor do Pecado (Imagem: Divulgação / Globo)

Da Cor do Pecado (2004) tinha como trama principal o amor inter-racial entre Preta (Taís Araújo) e Paco (Reynaldo Gianecchini), que se conheceram em São Luís (MA). O botânico voltou ao Rio de Janeiro, terminou o noivado com a interesseira e malvada Bárbara (Giovanna Antonelli), depois descobrindo que engravidou a vilã e que tem um irmão gêmeo, o Apolo, da família Sardinha, liderada pela “mamusca” Edilásia (Rosi Campos). A novela também fez sucesso em 2007 e 2012.

Senhora do Destino
Susana Vieira, Carolina Dieckmann e Renata Sorrah em Senhora do Destino (Imagem: Divulgação / Globo)

Senhora do Destino (2004) contou a história da nordestina Maria do Carmo (Susana Vieira), que teve sua filha. Isabel (Carolina Dieckmann) raptada por Nazaré (Renata Sorrah) quando ainda jovem. A vilã fez isso para salvar o casamento com o marido, por não poder ter filhos, e rouba o bebê na maternidade. A caçada norteou a novela, com a matriarca da família em busca da então Lindalva e querendo vingança contra a loira megera. Maria ainda viveu um triângulo amoroso entre o jornalista Dirceu (José Mayer) e o memorável Giovanni Improtta (José Wilker). O trabalho de Aguinaldo Silva foi reexibido em 2007 e 2012.

Matheus Henrique Menezes
Oficialmente redator desde 2017. Experiências como editor e social media. Já escrevi sobre famosos, TV, novelas, música, reality show, política e pauta LGBTI+. Vídeos complementares no YouTube, no canal Benzatheus.
Veja mais ›