Camilla de Lucas se posiciona sobre fala polêmica de Patricia Abravanel e manda recado

Camilla de Lucas e Patricia
Camilla de Lucas reage à fala polêmica de Patrícia Abravanel (Imagem: Reprodução / Instagram)

Camilla de Lucas demonstrou sua indignação nas redes sociais após a fala polêmica de Patrícia Abravanel envolvendo o público LGBTQIA+.

A ex-BBB publicou uma indireta para a filha de Silvio Santos. “Se você coloca um filho no mundo, é dever seu ensiná-lo a não ser homofóbico!“, escreveu a influencer no Twitter.

A publicação da vice-campeã do reality aconteceu horas após a apresentadora do Vem Pra Cá comentar sobre as críticas que Caio Castro e Rafa Kalimann estavam recebendo após compartilharem nas redes sociais um vídeo com falas homofóbicas de um pastor.

Abravanel tentou justificar a situação usando como base o fato de que muitas pessoas conservadoras ainda estão aprendendo a lidar com a diversidade, portanto, possuem o direito de ser intolerantes.

Eu acredito que nós mais velhos e educados com pais conservadores estamos aprendendo, mas acho que é um direito as pessoas respeitarem. […] Tudo é muito polemizado. Eu não acho que o Caio Castro e a Rafa Kalimann são homofóbicos, só foram educados de outra forma”, afirmou no programa. Para ela, os posicionamentos dos artistas são apenas “opiniões diferentes”.

Além da defesa, Patrícia ironizou a sigla da comunidade, a LGBTQIA+, a qual se refere como “LGBBTYH” e “LGBTC”. “Eu acredito que o LGBBTYH, não sei, querem ter respeito, eles tem que ter respeito a quem tá aprendendo, tem que ter respeito e compreensão e não massacre”, opinou. A fala causou revolta na web.

Durante a programação, a comunicadora ainda contou que a citação incorreta da sigla gerou comentários nos bastidores: “Ele falou que quando eu falei ‘LGBT não sei o que +’ isso não foi legal porque isso demonstra… Mas assim, ao mesmo tempo que a gente está tão aberto para o amor, a gente fica mais aberto ao erro também“, completou.

No mesmo dia, o próprio sobrinho de Patrícia, Tiago Abravanel, rebateu a declaração da tia. “Não é uma questão de tolerância, tia, de calma. As pessoas sofrem por isso, as pessoas morrem por causa disso. Quando um homem ou um casal de gays está andando na Avenida Paulista e leva uma lampadada na cabeça, não dá tempo de explicar: ‘Olha, só um minuto, deixa eu te explicar que a gente está namorando e você tem que respeitar…’. Não dá tempo de explicar“, argumentou.

E completou: “Opinar, você opina se uma roupa é bonita ou feia para você. Se você quer café ou chá ou se você gosta de doce ou salgado. A orientação sexual não é da opinião de ninguém. Ela nasceu assim, então, não é uma questão de opinião. Ponto. Quando se opina em relação a isso é um ato homofóbico“.

Confira:

Elson BarbosaElson Barbosa
Jornalista, encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @ellsonbarbosa
Veja mais ›