Canal Viva confirma Sassaricando como substituta de Brega & Chique

Sassaricando
Eva Wilma (Penélope), Tônia Carrero (Rebeca) e Irene Ravache (Leonora) em Sassaricando; novela substitui Brega & Chique no Canal Viva (Imagem: Divulgação / Globo)

O Canal Viva confirmou, na tarde desta terça-feira (21), a escolha de Sassaricando (1987) como substituta de Brega & Chique (1987). A estreia da trama de Silvio de Abreu deve ocorrer em setembro.

Com o anúncio, o Viva completa a próxima trinca de novelas: Mulheres Apaixonadas (2003) ocupa a vaga de O Clone (2001) em agosto; A Viagem (1994) herda o horário de Chocolate com Pimenta (2003) em dezembro. Ainda, a primeira temporada de Malhação (1995), conforme adiantado em primeira mão no RD1.

Sassaricando divide-se entre os clãs Abdala e de Pádua. O primeiro núcleo é chefiado com mãos de ferro por Teodora (Jandira Martini), que faz todas as vontades da filha, Fedora (Cristina Pereira). Com a morte dela, o viúvo Aparício (Paulo Autran) resolve aproveitar a vida. Envolve-se com três mulheres: a atriz Leonora (Irene Ravache), a dona de casa Penélope (Eva Wilma) e a estilista Rebeca (Tônia Carrero), seu grande amor do passado.

Já a segunda família amarga o abandono do patriarca, Ricardo (Carlos Zara). A feirante Aldonza (Lolita Rodrigues) então assumiu o controle da casa. O único filho homem, Guel (Edson Celulari), finge estudar medicina. Entre as três meninas, Tancinha (Claudia Raia) se sobressai tanto pela exuberância, quanto pela ignorância; ela se divide entre o caminhoneiro Apolo (Alexandre Frota) e o publicitário Beto (Marcos Frota).

Dirigida por Cecil Thiré, Sassaricando reúne talentos como Maitê Proença, Diogo Vilela, Maria Alice Vergueiro, Laerte Morrone, Roberto Bataglin, Ileana Kwasinsky, Denise Milfont, Angelina Muniz, Rômulo Arantes e Jorge Lafond, dentre outros.

Curiosamente, Sassaricando substituiu Brega & Chique na exibição original, às 19h. A situação quase se repetiu em 1990, quando a comédia de Silvio de Abreu chegou a ser anunciada como título posterior ao folhetim de Cassiano Gabus Mendes. A trama, porém, acabou adiada, dando lugar a Pão-Pão Beijo-Beijo (1983), de Walther Negrão.

CONTINUE LENDO →

Duh Secco é “telemaníaco” desde criancinha. Em 2014, criou o blog “Vivo no Viva”, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.