Candidato em 2022, Ciro Gomes defende posicionamento de Juliana Paes

Ciro Gomes
Ciro Gomes sai em defesa de Juliana Paes (Imagem: Reprodução – Instagram / Montagem – RD1)

Juliana Paes ganhou mais um apoiador: Ciro Gomes, filiado ao PDT e um dos cotados à presidência da República em 2022. O político defendeu a posição da atriz da Globo, que criticou a polarização entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-presidente Lula.

Em um vídeo divulgado no Instagram, Juliana reagiu contra “os ideais arrogantes de extrema direita” e os “delírios comunistas da extrema esquerda”.

“O mundo inteiro tá angustiado, tá desorientado. Aqui, no Brasil, o cenário se complica, porque todo e qualquer assunto é politizado”, reclamou.

“Eu não sou Bolsominion como o pessoal adora falar, quem não me conhece, tenho críticas severas a esse que nos governa, por outro lado não quero que governe o Brasil essa oposição que se insinua para o futuro. Então estou num ambiente onde não me sinto representada por ninguém”, explicou.

No Facebook, Ciro Gomes se manifestou sobre o assunto e defendeu a famosa. “Chega de lacração e cancelamento! A falsa polarização em marcha só serve para aos dois aproveitadores dela”, opinou o ex-governador.

Ele se juntou a nomes como Thiago Gagliasso e Danilo Gentili, que saíram em apoio ao posicionamento da atriz. Bruno Gagliasso, Felipe Andreoli, Tico Santa Cruz, entre outros, ficaram contra o posicionamento neutro da atriz.

O pensamento do rival de Bolsonaro e Lula também foi diferente do exposto por Ícaro Silva. Nos comentários da publicação de Juliana, ele ressaltou que entendeu os pontos colocados por ela “como um jovem ator morador da Barra da Tijuca”, mas frisou:

“É como se você estivesse falando de uma pequena ilha de tesouros para um continente cheio de gente à beira da morte”.

“Eu te sugeriria, porque adoro você, o exercício de mergulhar em realidades que você nem sonha que existe. E não estou falando da mulher gata do traficante em uma favela pop do Rio de janeiro. Tô falando dos Indígenas que estão sendo massacrados agora. Acredite, isso não é um delírio comunista”, garantiu.

Confira:

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

Paulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].
Veja mais ›