Carlinhos Maia fala sobre casamento midiático e faz revelação

Carlinhos Maia
Carlinhos Maia falou sobre a cerimônia de casamento com Lucas Guimarães (Imagem: Reprodução / Instagram)

Dois anos depois da cerimônia de casamento com Lucas Guimarães, Carlinhos Maia abriu o jogo sobre a festança que o casal deu. Em conversa com a Leo Dias, do Metrópoles, o influencer relembrou o evento e fez uma confissão.

“Eu não sabia mais se estava casando por amor ou por mídia”, afirmou ele, que ainda completou: “O meu casamento foi aquela coisa midiática, e eu queria mesmo. Mas eu entrei em colapso. Imagina, eu sempre fui esse menino que cria, que tem uma vida sagaz, e eu encontro uma parte do país inteiro esperando as coisas acontecerem… Eu pirei porque é muita informação. Era muita gente dizendo: ‘Maravilhoso, rei, vai’. Ninguém estava ali dizendo um não, lhe dando um choque. Ninguém estava segurando na mão e dizendo: ‘Está vacilando’”.

Enquanto Maia estava nesse momento, quem tinha os pés no chão era o esposo. “O único que me dizia era o Lucas, e eu falava: ‘Não, deixa que eu sei o que estou fazendo. Isso aqui vai ser bom para a gente, é para a nossa imagem, o nosso trabalho, é para a nossa família’. Então eu dei uma surtada real“, relatou.

Não era eu, mas voltei, me reinventei, estou muito feliz, estou seguro, não tenho mais medo de falar o que eu penso. Quem gosta de mim, gosta. Quem não gosta...”, completou o humorista, que jogou um beijo.

Questionado se faria algo diferente caso a cerimônia fosse nos dias de hoje, Carlinhos disse: “Hoje eu daria o beijo na boca que eu não dei. E não é por militância. Foi importante para mim (a militância) porque eu aprendi a gostar da minha orientação de fato. Mas eu não beijei em respeito às nossas famílias. Foi a atitude mais racional que eu tive neste contexto familiar. A família de Lucas é muito evangélica, demorou a vida toda para compreender”.

“Minha família era totalmente preconceituosa. Tias minhas falavam que preferiam ter um filho no caixão do que ter um filho gay. ‘Eu prefiro ter dez filhas prostitutas do que um filho gay’”, lembrou o artista. “Imagina para gente lutar contra isso o tempo inteiro e entender que eles estarem ali no nosso casamento foi um processo de anos? Só sabiam tudo o que a gente passou para chegar ali, os nossos amigos, as pessoas que estavam com a gente desde o início”, continuou.

Apesar das críticas por não ter acontecido um beijo no casamento, Carlinhos Maia afirmou: “As críticas foram muito fortes, mas não me abalaram tanto quanto a paciência que eu tinha que ter com os meus pais, com o meu pai que é muito evangélico, mas sempre foi muito carinhoso comigo. Porque, às vezes, a gente fica nessa questão de… ‘Ah, tem que ligar o foda-se para todo mundo’. Tem é que ligar para essa geração que está vindo toda desconstruída. Eu não posso para a minha mãe de 70 anos, para o meu pai que é da igreja, dessa maneira. Uma parte do meu coração se importa demais. Às vezes, vou ter que abdicar de coisas que eu sei que são minhas verdades, mas eu pensei, ali, dessa forma”.

“Meus pais, quando casaram, beijaram na testa. A minha decisão não foi em respeito a convidados, público, foi às nossas famílias. As pessoas vão ter que ter paciência com outros gays que não têm a mesma coragem. Os gays soltaram a minha mão na época”, concluiu ele.

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›