Carolina Kasting revela quais novelas gostaria de rever no Vale a Pena Ver de Novo

Carolina Kasting
A atriz Carolina Kasting, que está no ar atualmente em Salve-se Quem Puder (Imagem: Divulgação / Globo)

Com um catálogo de 229 novelas reexibidas, o Vale a Pena Ver de Novo está comemorando 40 anos de existência na Globo. E embora Eta Mundo Bom! já tenha sido escolhida como a atração comemorativa de aniversário, o RD1 quis saber quais são as novelas preferidas entre os atores da emissora.

Carolina Kasting, no ar em Salve-se Quem Puder, é figura carimbada nas produções mais pedidas pelo público do VPVN, como Escrito nas Estrelas e Amor à Vida (2013), e também já esteve no elenco de reprises memoráveis na faixa. Quem não se lembra da professora Mariquinha de Cabocla (2004) e da impetuosa Rosa de Terra Nostra (1999)? Em conversa com o RD1, a atriz citou duas novelas que sonha em rever.

“Gostaria muito de ver novamente duas grandes obras que amo, não consigo escolher entre uma delas, então resolvi falar das duas, que são: Irmãos Coragem de Dias Gomes, foi ao ar em 1995 na Globo. Um remake da obra original de Janete Clair. Autores icônicos da teledramaturgia. Amo a obra de Dias Gomes, também as peças de teatro e bibliografia”, citou a atriz.

Kasting também elegeu uma novela da qual fez parte: Além do Tempo, de Elizabeth Jhin. “Uma novela mais recente mas que na minha opinião fez história com a direção de Rogério Gomes. Dividida em duas fases, as personagens transcendem o tempo e se encontram na atualidade. Vivi a Rosa Ventana/Rosa del Corso, uma cozinheira que na época atual é uma chef bem sucedida”, respondeu.

A primeira novela citada por Carolina, o remake de Irmãos Coragem, nunca chegou sequer a ser cogitada para o Vale a Pena Ver de Novo. A trama foi ao ar em 1995 como parte da comemoração aos 30 anos da Globo, e contou com Marcos Palmeira, Marcos Winter, Ilya São Paulo, Letícia Sabatella, Laura Cardoso, Flávio Galvão, Gabriela Duarte e Cláudio Marzo nos papéis centrais.

Mesmo sendo uma releitura de um clássico da dramaturgia brasileira e tocando em feridas pertinentes como a violência da cidade grande e o abuso de poder, a trama desagradou o público e enfrentou problemas nos bastidores – o autor Dias Gomes reclamou da direção de Luiz Fernando Carvalho, que modificava o ritmo e a linguagem de seus textos, e o profissional acabou sendo substituído por Reinaldo Boury, que trabalhou na primeira versão da obra, em 1970.

Já Além do Tempo, exibida há 5 anos, se tornou um marco das 18h ao apostar numa trama espírita dividida em duas fases. A história começou no século XIX e teve um salto de 150 anos até chegar aos dias atuais, mantendo os mesmos personagens em duas encarnações distintas. Eles tiveram a chance de se redimir dos erros do passado e viver novas histórias – Rosa, a personagem de Carolina Kasting, por exemplo, teve a oportunidade de um final feliz ao lado de Bento (Luiz Carlos Vasconcelos), com quem teve uma relação abusiva no passado.

Foram destaques nesta produção as atuações de Alinne Moraes, Rafael Cardoso, Irene Ravache, Paolla Oliveira, Emílio Dantas, Ana Beatriz Nogueira, Felipe Camargo, Nívea Maria, Rômulo Estrela, entre muitos outros.

Irmãos Coragem
Irregular e pouco lembrada, remake de Irmãos Coragem nunca foi lembrada para o VPVD (Imagem: Divulgação / Globo)
Além do Tempo
Além do Tempo fez história com formato inédito na dramaturgia (Imagem: Divulgação / Globo)

Daniel Ribeiro cobre televisão desde 2010. No RD1, ao longo de três passagens, já foi repórter e colunista. Especializado em fotografia, retorna ao site para assinar uma coluna que virou referência enquanto esteve à frente, a Curto-Circuito. Pode ser encontrado no Twitter através do @danielmiede ou no danielribeiro@rd1.com.br.

WordPress Lightbox