Cláudio Manoel expõe proibição que o Casseta & Planeta tinha com Sandy

Cláudio Manoel
Cláudio Manoel revelou proibição que teve na época do Casseta (Imagem: Divulgação / Globo)

Cláudio Manoel, de 62 anos, fez uma revelação surpreendente em entrevista para Maurício Meirelles no Foi Mau, da RedeTV!, a respeito do extinto Casseta e Planeta, Urgente!. Segundo o famoso, o programa foi proibido de fazer paródias com a Sandy.

Na entrevista, o ator e redator contou que a proibição ocorreu na época em que ela era protagonista da novela Estrela-Guia, exibida em 2001 na emissora carioca. O ex-Casseta afirmou que a condição foi imposta pelo pai da artista, Xororó.

“Sandy estava com medo da novela ser exposta, porque ela não era atriz. Então, a condição do pai dela, foi: ‘Ela faz [a novela] desde que a casa a proteja desse tipo de exposição“, declarou o humorista.

O famoso, inclusive, ressaltou que um material sobre a novela chegou a ser produzido, mas nunca foi ao ar. “Fizemos uma paródia chamada Estrela-Virgem, porque não sabíamos das condições, até que nos chamaram. Foi um certo bloqueio. Não pudemos fazer”, confessou Cláudio Manoel.

Ele ainda relembrou o impacto da morte do colega de trabalho e amigo Bussunda, que faleceu aos 43 anos vítima de um ataque cardíaco em 2006.

“Ao contrário do que as pessoas acham, a morte dele foi um grande baque, mas também uma forma de juntar todo mundo, de não deixar a peteca cair e não deixar acabar, por ele”, disparou o ator.

Inclusive, há alguns dias, Helio de La Peña contou ao Sensacional, da RedeTV!, detalhes do período da morte do amigo.

“Ali você tinha um cara que estava no comando, tinha um discurso politicamente correto e engajado, com várias críticas ao nosso trabalho, e que na vida real vimos no que deu. Acho complicado apontar o dedo na cara dos outros e quando vê a sua situação é aquela“, declarou.

O ator também falou sobre um conselho que ele e seus colegas do Casseta & Planeta receberam de Galvão Bueno após a morte de Bussunda.

“Por ele ter passado por uma situação traumática com o Ayrton Senna, foi conversar conosco. Não queríamos fazer nada e ele sugeriu: ‘Não parem o programa, continuem’. Foi um conselho que achamos que tinha tudo a ver. Se tivéssemos parado naquela época, quando nos sentiríamos prontos para voltar?”, disse.

MAIS LIDAS

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email [email protected]
Veja mais ›