Daniela Mercury detona Sikêra Jr e faz cobrança após discurso homofóbico do famoso

Daniela Mercury
Daniela Mercury soltou o verbo contra Sikêra Jr (Imagem: Reprodução / Instagram)

Após Sikêra Jr chamar as pessoas que fazem parte da comunidade LGBTQIA+ de “raça desgraçada”, Daniela Mercury se posicionou no seu perfil do Twitter.

Ele tem que perder todos os patrocinadores. Nós LGBTs temos muito poder. USE o seu PODER”, postou a cantora, que compartilhou um vídeo do jornalista falando atrocidades.

A baiana ainda completou: “Só compre de empresas que nos respeitam, lutam por nossas causas e incluem e empregam pessoas LGBTQIA + e todas as minorias”.

Para quem não sabe, durante o Alerta Nacional na última sexta-feira (25), Sikêra Jr, que estava ao vivo, detonou a propaganda do Burger King onde crianças de diferentes idades são entrevistadas e explicam que é normal ver e conviver com pessoas LGBTQIA+.

Vocês são nojentos. A gente está calado, engolindo essa raça desgraçada, mas vai chegar um momento que vamos ter que fazer um barulho maior. Deixa a criança crescer, brincar, descobrir por ela mesma. O comercial é podre, nojento. Isso não é conversa para criança”, disse o famoso.

A criançada está sendo usada. Um povo lacrador que não convence mais os adultos e agora vão usar as crianças. É uma lição de comunismo: vamos atacar a base, a base familiar, é isso que eles querem. Nós não vamos deixar”, ameaçou.

Após o ataque homofóbico e transfóbico do contratado da RedeTV!, o Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul entrou com uma ação contra ele. A petição, assinada pelo procurador regional dos Direitos do Cidadão, Enrico Rodrigues de Freitas, em parceria com o grupo Nuances – Grupo Pela Livre Expressão Sexual, diz que Sikêra Jr mostra “constante ameaça nas próprias falas”, que por sua vez contêm “teor discriminatório e de preconceito”.

Segundo o o órgão, o apresentador da RedeTV! “estimula a violência contra este grupo, caracterizando discurso de ódio e menosprezo pelo ordenamento jurídico e pelas instituições democráticas”.

O MPF pede R$ 10 milhões das duas partes por danos morais coletivos, e garante que o valor será destinado à estruturação de centros de cidadania LGBTQIA+. O processo ainda exige que seja excluído na íntegra o programa do dia 25/06 dos sites oficiais da emissora.

Carol Bittencourt
Caroline Bittencourt é jornalista, pós-graduada em Comunicação e Design Digital. Atua como redatora e produtora de conteúdo para redes sociais. Está nas redes sociais no @bittencourt.caroline.
Veja mais ›