Datena causa polêmica ao criticar cinegrafista durante o Brasil Urgente

Datena
Datena criticou atitude do profissional durante o programa ao vivo (Imagem: Reprodução / Band)

José Luiz Datena voltou a dar uma bronca na equipe durante o Brasil Urgente, ao vivo. Ao chamar Marcelo Moreira para falar sobre o trânsito por conta do feriado prolongado, uma situação acabou roubando a cena.

No vídeo, o cinegrafista deixou passar um outdoor com um homem em roupas íntimas. Datena, então, ficou revoltado e deu um verdadeiro puxão de orelha na equipe. “Me ajuda aí. [Estamos] fazendo publicidade de graça? Abre mais. Aí não, né, Latino. Você já deveria ter cortado antes. O cara com aquele cuecão lá“, disparou.

Nesta semana, Datena perdeu a paciência, dispensou qualquer protocolo do jornalismo da Band e, ao vivo, foi bastante claro sobre sua posição política em 2022: “Sou candidato à presidência da República”.

Durante o programa policial da última sexta-feira (3), o apresentador ficou bastante nervoso quando tocou no assunto e avisou que a partir daquele instante estava em modo tolerância zero para entrevistas:

“Não quero mais falar disso, não venham me procurar para entrevistas sobre presidência da República. Eu sou candidato e o único candidato pelo partido que me lançou, o PSL, mas não faço mais disso aqui. Não venham me procurar… Site, revista, eu sou candidato, mas não vou falar disso”.

Não é hora de falar de política. É hora de ajudar o povo, pow! Vão ajudar o povo ao invés de criar confusão toda hora!”, finalizou. O quadro popular do Brasil Urgente se tornou a principal ferramenta de Datena no contato direto com o público.

Nesta semana, ele usou a atração e desferiu críticas a Paulo Guedes, ministro da Economia, pelo aumento da conta de luz. “É, Paulo Guedes, só no nosso. Entra em ação o fantasma da crise da água e da luz”, disparou.

Em outro recente desabafo, o apresentador soltou o verbo contra o presidente Jair Bolsonaro. Indignado com os ataques de bandidos em Araçatuba, o jornalista cobrou do governante atitudes efetivas para o reforço da área da segurança pública no país:

“A gente já vive com essa instabilidade política muito grande não pode permitir que esses bandidos tirem a nossa tranquilidade. Se nessa crise que nós enfrentamos no Brasil, onde há ameaça da liberdade, à democracia, com declarações de golpe e coisas parecidas”.

Se a gente olha isso, esses ataques terroristas a outros ataques malucos, usar armas que tem por aí, o país vai ficar ingovernável, vai perder completamente a sua governabilidade”, disparou.

Eu achava melhor que o presidente começasse a governar, que Paulo Guedes começasse a pensar no povo, esquecesse campanha política, esquecesse da história de voto e ligar para o povo que está morrendo de fome, de coronavírus, que está com outras doenças, que não tem teto”, alfinetou ainda.

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›