Datena defende repórter da Band ao vivo após ataque de bolsonaristas

Datena
Datena solta o verbo contra Bolsonaro na Band (Imagem: Reprodução – Band – SBT / Montagem – RD1)

José Luiz Datena conversou com Catia Fonseca no início do Brasil Urgente desta terça-feira (7) sobre o ataque do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao STF mais especificamente ao ministro Alexandre de Moraes. O apresentador também se irritou quando manifestantes atacaram a Band.

“Vizinho, como está a situação? Bolsonaro já começou a falar?”, questionou Catia Fonseca. “Começou e já deu cacete pra caramba. Chutou a canela [do ministro Alexandre de Moraes]”, começou Datena. “Eles esperavam 2 milhões, mas tem muito menos de 2 milhões. Seria a estimativa da polícia: 120 mil pessoas. Não sei”, informou.

“Muita gente esperava que ele fizesse um discurso conciliador, mas esperar que ele seja conciliador… Não é da índole dele. Ele é belicista. O discurso foi totalmente político, contra o Supremo Tribunal Federal”, afirmou.

Datena ressaltou que Bolsonaro atacou de forma velada o ministro Alexandre de Moraes em seu discurso em Brasília, no entanto, em sua fala em São Paulo, ele citou o nome do membro da Corte. “É um discurso que os analistas entendem como golpista”, alertou o apresentador.

O ministro Paulo Guedes foi alvo de Datena pela péssima gestão à frente da economia do país. “O presidente poderia ter ajudado… Conciliar mesmo. Ele é o líder da nação, mas democracia significa equilíbrio. Enquadrar o Supremo é golpe em outras palavras”, apontou.

“O último golpe que houve no Brasil foi quando Getúlio foi presidente. O Getúlio foi um ditador. Ele foi um político hábil, diferente de Bolsonaro. Vai ser difícil controlar o Bolsonaro. O Paulo Guedes não consegue consertar a economia. A situação fica mais difícil. A gente teme que o presidente perca o controle de uma vez”, considerou.

Ataque no ar

No programa, o repórter Cesar Cavalcante entrou ao vivo no Brasil Urgente e eleitores do presidente atacaram o jornalista e a Band. “Pode tirar a imagem! Democracia é democracia, agora ninguém aqui vai aceitar desrespeito ao repórter que tá lá. Nem à imprensa. Ninguém aqui é obrigado a aceitar isso”, reclamou.

“O presidente não quer confronto, a gente não quer confronto, mas a gente não vai permitir que xinguem a imprensa de ‘lixo’, eu tenho muito orgulho da imprensa da qual participo. E não vou permitir isso aqui”, avisou.

No ar, Datena deixou claro que foi contra a ida de repórteres da casa para dentro da manifestação na Av. Paulista:

“Pedi pra não colocar repórter aí desde ontem e eu sugiro que retirem os repórteres daí imediatamente. Pra ficar sendo chamado de ‘lixo’ ou expor o repórter, que pode ser espancado daqui a pouco, é melhor tirar daí. Esse é o clima de ódio gerado pelas eleições que temos que enfrentar”.

“De jeito nenhum! Isso é absolutamente inaceitável. Ninguém vai aceitar ser chamado de ‘lixo’, porque nós não somos lixo, nós respeitamos o povo brasileiro, desde que haja respeito mútuo. Essas pessoas não representam o povo brasileiro, essas pessoas não respeitam a democracia. Eu pedi pra não colocar repórteres aí, mas não me atendem de jeito nenhum”, esbravejou.

“Tão expondo o menino ali a levar um pau. Eu não vou responder na mesma moeda esse negócio de ‘lixo’, porque eu responderia, mas enquanto tiverem xingando a imprensa, repórter nenhum chega aqui pra permitir que essas pessoas desqualificadas tenham voz. A menos que me tirem daqui. Se quiserem botar outro cara aqui, pode chamar o repórter de ‘lixo'”, finalizou.

Confira:

Paulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].
Veja mais ›