Datena solta o verbo contra Bolsonaro e defende a imprensa após agressões

Datena
Datena atacou Bolsonaro em seu programa (Imagem: Reprodução / Band)

José Luiz Datena voltou a disparar contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em seu programa na Band. No Brasil Urgente, desta segunda-feira (01), o apresentador criticou as agressões que jornalistas sofreram de seguranças do político em Roma, no último final de semana.

As críticas do jornalista foram feitas enquanto ele entrevista o ministro Onyx Lorenzoni. Ao vivo, o aliado de Bolsonaro comentava sobre a nova portaria que assinou que proíbe empresas de demitir funcionários que não tomaram vacina contra a Covid-19.

Num certo momento, então, Onyx foi elogiar um jornalista da Band, mas Datena o interrompeu e fez sua crítica ao presidente da República.

“Eu queria só fazer aqui publicamente esse reconhecimento à competência do Valteno, que nessa situação em que vive a imprensa brasileira, ter profissionais que são corretos, que não distorcem a informação, que dá informação com precisão e correção, isso é uma benção pra quem busca se informar como todo e qualquer cidadão desse país”, disparou o ministro.

O apresentador do Brasil Urgente, então, o interrompeu e declarou: “Eu concordo com você, mas também não precisa bater na imprensa brasileira também. Não precisa bater… O senhor não, o segurança do Bolsonaro lá na Itália. O senhor não bateu, mas os seguranças não precisam bater na imprensa também porque a imprensa não tem culpa de nada”.

Crítico do ministro da Economia, Paulo Guedes, Datena ainda declarou: “O Paulo Guedes (ministro da economia) é mais culpado do que nós. Por que não bate no Paulo Guedes ao invés de bater na gente? Nós não temos nada a ver com isso”.

Ao vivo, Onyx Lorenzoni ficou visualmente constrangido com a situação e preferiu não tocar no assunto.

Mais cedo, Datena já havia atacado Bolsonaro. Ele comentou sobre as Forças Armadas e garantiu que a atual gestão não faz nada pelos militares.

“Eu relocaria as Forças Armadas pra lá, deslocaria mesmo. Eu rearmaria as Forças Armadas porque é brincadeira um presidente militar que não fez nada para o Exército, Marinha e Aeronáutica. O Brasil não tem bala pra uma hora de guerra. As Forças Armadas brasileiras deveriam ser rearmadas e ter incentivo porque somos o terceiro maior produtor de grãos do mundo, a gente tem todo tipo de minério, somos autossuficientes de petróleo…”, desabafou.

O contratado da Band seguiu: “É o país mais rico do mundo. Estamos em cima do maior solo rico do mundo que Deus nos deu… Pra isso nós precisamos ter Exército, Marinha e Aeronáutica para defender o nosso país. A gente não quer Forças Armadas para atacar ninguém e nem dar golpe como Bolsonaro queria, mas é pra se defender”.

MAIS LIDAS

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email [email protected]
Veja mais ›