Documentário sobre Fernanda Young é preparado por diretora do filme de Mussum

Fernanda Young
História de Fernanda Young será contada em documentário (Imagem: Divulgação / Globo)

Susanna Lira, responsável pela direção da obra Um Filme do Cacildes, que conta a trajetória do humorista Mussum, já está em fase de pesquisa para sua próxima produção, focada na história de Fernanda Young.

A escritora, que morreu após uma parada cardíaca aos 49 anos, em agosto do ano passado, vai ser a grande personagem do documentário em construção, que é apenas um dos muitos projetos da diretora. As novidades foram reveladas por Susanna durante uma live no Instagram do Canal Curta, quando também falou que prepara um documentário sobre Gonzaguinha.

Cabe lembrar que, recentemente, a filha de Fernanda, Estela May, fez uma homenagem emocionante no Instagram à mãe, que completaria 50 anos em 1º de maio. “Saudade. Às vezes sinto que falo com você ouvindo música. às vezes pela maneira que o sol bate no chão do seu quarto, ou quando olho pro meu pé ridiculamente minúsculo. Às vezes é nas maluquices diárias. Pequenas maluquices como dormir do outro lado da cama, só conseguir do outro lado da cama, decidir que minha nova eu dorme do outro lado da cama“, detalhou.

Ela citou momentos da sua rotina em que lembra de Young: “Às vezes falo com você bebendo uma coca zero ou repetindo palavras em francês de um filme qualquer ‘au bientot’ ‘étrange’ ‘maintenant’ coisas assim. Gosto de falar com você quando escrevo“.

Espero que você esteja dando a festa mais incrível em plêiade. Luzes refletidas de luas distantes, almas boêmias de todo canto do universo, portais para mundos nunca antes explorados, estrelas cintilantes e tobogãs intergaláticos que desencadeiam em buracos de minhoca“, emocionou.

Como se estivesse em uma conversa com Fernanda Young, Estela falou sobre as novidades. “Em casa, tudo bem. O John é poeta, a Catita vai salvar o mundo, a Biju me impressiona todo dia. Titia continua hilária e papai lindamente genial. Eu fico muito no seu quarto, que agora se chama love shack. Agora quando a gente brinda falamos titi ao invés de tim-tim. Toda hora que vejo um grampo largado por aí penso em você. Sentimos saudade. Você costumava dizer que meu nome significava estrela de maio. Ufa. Te sinto mais do que nunca e te amo sempre“, finalizou.

 

Ver essa foto no Instagram

 

saudade. às vezes sinto que falo com você ouvindo música. às vezes pela maneira que o sol bate no chão do seu quarto, ou quando olho pro meu pé ridiculamente minúsculo. às vezes é nas maluquices diárias. pequenas maluquices como dormir do outro lado da cama, só conseguir do outro lado da cama, decidir que minha nova eu dorme do outro lado da cama. às vezes falo com você bebendo uma coca zero ou repetindo palavras em francês de um filme qualquer “au bientot” “étrange” “maintenant” coisas assim. gosto de falar com você quando escrevo. espero que você esteja dando a festa mais incrível em plêiade. luzes refletidas de luas distantes, almas boêmias de todo canto do universo, portais para mundos nunca antes explorados, estrelas cintilantes e tobogãs intergaláticos que desencadeiam em buracos de minhoca. em casa, tudo bem. o john é poeta, a catita vai salvar o mundo, a biju me impressiona todo dia. titia continua hilária e papai lindamente genial. eu fico muito no seu quarto, que agora se chama love shack. agora quando a gente brinda falamos titi ao invés de tim-tim. toda hora que vejo um grampo largado por aí penso em você. sentimos saudade. você costumava dizer que meu nome significava estrela de maio. ufa. te sinto mais do que nunca e te amo sempre

Uma publicação compartilhada por Estela May (@e.mym) em

CONTINUE LENDO →

Jornalista, especialista em Comunicação Organizacional, apaixonado por café, crônicas e um bom papo. Encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com