“É cruel dizer que só um tipo de corpo é belo”, dispara Ana Baird, destaque de Um Lugar ao Sol

Ana Baird
Ana Baird abriu o jogo sobre papel importante em Um Lugar ao Sol (Imagem: Divulgação)

Aos 51 anos e um dos destaques de Um Lugar ao Sol, Ana Baird, que na trama dá vida à Nicole, tem trazido à tona no folhetim temas importantes como a gordofobia e padrões rígidos de beleza, que ela, emponderada, contesta e diz ser cruel classificar somente um tipo de corpo como bonito.

Bem casada com o músico Cacau Ferrari, Ana afirma já ter feito diversas dietas. A primeira foi aos nove anos e seguiu fazendo outras por um bom tempo na busca de um corpo magro. “Não ter um corpo padrão, por exemplo, já me colocou em muitas situações desconfortáveis. O problema é que na época eu não questionava o sistema que me dizia que eu não poderia ser como era”, fala.

De bem com vida, hoje Ana Baird comemora algumas mudanças como a do mercado em produzir uma moda específica para todos os tipos de corpos.

Veja Também

“Isso não existia quando eu era mais nova. A roupa era para esconder e não valorizar o corpo. Hoje, isso para mim é uma alegria sem fim! Se os corpos são diferentes, a moda tem que contemplar todos os corpos. Adorei saber, por exemplo, que fico bem com uma calça de cintura alta”, explica a atriz, que entrega ser fã dos looks fashions da personagem – em que brinca ao afirmar que levaria as roupas de Nicole para dentro do seu guarda-roupa: “Eu queria ter levado o armário inteiro dela”.

Confira a entrevista na íntegra:

RD1 – A novela já está toda gravada. Gostou do desfecho de Nicole? O que poderia adiantar do fim da novela?

Ana Baird – Assim você me quebra! Não posso adiantar nada, vamos conversar depois que tudo for ao ar. Eu não conto nada, nem mesmo para o meu marido que assiste a novela ao meu lado. Se falar com você, ele vai querer se separar (risos)!

Fora da TV você já passou por questionamentos que Nicole traz à tona no folhetim?

Sim, muitas vezes! Não ter um corpo padrão, por exemplo, já me colocou em situações desconfortáveis. O problema é que na época eu não questionava o sistema que me dizia que eu não poderia ser como era. Isso é muito ruim. Todas as pessoas fora do padrão passam por isso.

Nicole traz ao ar o tema da gordofobia. Como se sente dando voz a esse e outros questionamentos? Muita responsabilidade, não?

É uma responsabilidade grande, claro! Mas, ao mesmo tempo, é a oportunidade de trazer para as pessoas – que sofrem como eu sofri – uma possibilidade de libertação. Claro que para cada um o processo é diferente. Mas talvez eu contando a minha aceitação alguém possa começar a perceber um caminho para si mesmo. Se a minha história ajudar as pessoas, já está valendo essa responsabilidade.

Ana Baird
Ana Baird falou sobre as dietas que já fez na vida (Imagem: Divulgação)

Você já seguiu alguma dieta para tentar entrar num padrão de beleza social?

Diz aí uma dieta que tenha surgido antes de 2016 que eu vou te dizer que já segui. À minha primeira foi aos nove anos. Se dieta funcionasse, eu seria magrinha!

Hoje, aos 51 anos, como lida com essas questões de corpo e beleza? Consegue entender que não é só a magreza que é bela?

Graças a Deus ampliei muito minha percepção sobre a beleza. Hoje a vejo fora do padrão. É cruel dizer que só um tipo de corpo ou forma é belo. A Gisele Bündchen é linda sim, mas a Fabiana Karla também é linda. E, sinceramente, prefiro comprar uma roupa que vejo na Fabiana do que na Gisele…

Na novela o figurino de Nicole é lindo, fashion e com várias roupas transadas. Que peças dela levaria para o seu guarda-roupa?

Eu queria ter levado o armário inteiro! Adorei o figurino da Nicole! Algumas marcas até me mandaram uns presentinhos, fiquei muito fã.

Hoje como vê o mercado produzindo uma moda específica para todos os tipos de corpos?

Isso não existia quando eu era mais nova. A roupa era para esconder e não valorizar o corpo. Para mim é uma alegria sem fim! Se os corpos são diferentes, a moda tem que contemplar todos os corpos. Adorei saber, por exemplo, que fico bem com uma calça de cintura alta. Comprei duas calças da mesma marca da que a Nicole usava no ar e saio feliz, sentindo-me bem numa calça jeans que foi feita para o meu tipo de corpo.

Quais são os seus projetos para este ano? Retorno em alguma produção na TV, teatro ou lançamento de algum filme?

Recebi um convite maravilhoso para o teatro que ainda não posso divulgar. E aguardando convites para voltar à TV e o cinema.

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

MAIS LIDAS

Márcio Gomes
O carioca Márcio Gomes é apaixonado pelo jornalismo, tanto que o escolheu como profissão. Passou por diversas redações, já foi correspondente estrangeiro dos títulos da Editora Impala de Portugal como Nova Gente, Focus, Boa Forma, e editor na revista de BORDO. Escreveu para várias publicações como Elle, Capricho, Manchete, Desfile, Todateen, Shape, Seleções, Agência Estado/Estadão, O Fuxico, UOL, entre outros.
Veja mais ›