Em Vale Tudo, Odete Roitman fez o peru e morreu na véspera de Natal

Vale Tudo
Beatriz Segall (Odete Roitman) em Vale Tudo; “quem matou?” famoso foi deflagrado no capítulo exibido na véspera do Natal de 1988 (Imagem: Reprodução / Globoplay)

O Natal de 1988 caiu no domingo. A véspera, no sábado, ficou marcada pela morte da perua Odete Roitman (Beatriz Segall). O capítulo 193 de Vale Tudo, clássico assinado por Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères, mobilizou o público e adiou a aguardada ceia, deflagrando um dos mais famosos “quem matou?” da televisão brasileira.

O trágico fim de Odete Roitman era ansiosamente aguardado pelos telespectadores de Vale Tudo. Ao longo da narrativa, a megera interferiu nas vidas dos filhos Afonso (Cássio Gabus Mendes) e Heleninha (Renata Sorrah), articulando casamentos com gente de índole duvidosa – Maria de Fátima (Gloria Pires) e Marco Aurélio (Reginaldo Faria) – ou criando fantasias, como a que fez a herdeira acreditar que havia sido responsável pela morte do irmão Leonardo, entregando-se então à bebida.

Também planejou a derrocada de Raquel (Regina Duarte), mãe de Fátima que, diferente desta, subiu na vida batalhando honestamente. Fez o que pode para afastá-la de Ivan (Antonio Fagundes) e para mantê-lo junto de Helena, julgando-o como companheiro ideal para a filha. Ainda espezinhou a irmã Celina (Nathalia Timberg) e disparou ofensas – doloridas, mas verdadeiras – sobre o Brasil, país que saqueava com os negócios escusos de sua empresa, a TCA.

Odete foi dizimada com três tiros à queima-roupa, disparados por Leila (Cássia Kis). A identidade da assassina veio à tona no último capítulo, exibido em 6 de janeiro de 1989. Leila acreditava estar disparando contra Fátima, então amante de Marco Aurélio, com quem ela havia se casado há pouco tempo. Dois dias antes da exibição do crime, na quinta-feira (22), Cássia, Reginaldo e Danton Mello (Bruno) gravaram o desfecho de seus personagens. Os três fugiram de jatinho; já no alto, Marco Aurélio dedicou uma lendária banana ao Brasil.

Do crime à revelação do assassino, a Globo e a Nestlé, fabricante do Caldo de Galinha Maggi, promoveram um concurso apresentado por Cesar Filho para premiar quem descobrisse a identidade do responsável pela morte de Odete Roitman. Apenas 5% de cartas acusavam Leila. Seis participantes foram contemplados com 10 milhões de cruzados, cinco levaram 1 milhão de cruzados e um ganhou 5 milhões de cruzados. Você pode saber mais sobre a investida, bem como de outros bastidores de Vale Tudo, clicando aqui.

O Natal de 1988 na Globo

O capítulo de Vale Tudo exibido no dia 24 ficou marcado pelo início das investigações a respeito do crime e pela reação de Heleninha ao receber a notícia da morte da mãe. Alcoolizada, ela caiu na risada, antes de desmaiar, curando-se do porre que tomou ao descobrir que Odete havia mentido, por anos, sobre o acidente que vitimou Leonardo – a responsabilidade era toda dela.

Antes, às 15h10, a Globo apostou no filme Papai Noel Existe (1984) em Cinema Especial. Na sequência, o especial Titãs e Barão Vermelho (17h) e as novelas Vida Nova (18h) e Bebê a Bordo (18h50).

Depois da novela, às 21h35, Supercine com Embalos a Dois (1983). Às 23h20, o Especial da Xuxa. Nada mais que uma versão compacta da atração programada para o dia seguinte: o tradicional ‘Xou’, com as participações de Fábio Jr, Roberto Carlos e do então namorado de Xu, Ayrton Senna – na famosa sequência em que ela distribui beijos nele desejando até “Feliz 1993”; o piloto morreu no ano seguinte.

Duh SeccoDuh Secco
Duh Secco é  "telemaníaco" desde criancinha. Em 2014, criou o blog "Vivo no Viva", repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.
Veja mais ›