Evandro Santo mostra quarto onde está internado para tratar vício em drogas

Evandro Santo
Evandro Santo mostra quarto na clínica de reabilitação (Imagem: Reprodução / Instagram)

Aos 46 anos, Evandro Santo está na quinta internação em uma clínica de reabilitação para se tratar contra o vídeo em drogas. Através do Instagram, o artista, que fez parte do Pânico na TV, onde interpretava o personagem Christian Pior, mostrou o quarto do local, no interior de São Paulo, e ainda falou atividades que faz por lá.

Na clínica, que fica em Itapecerica da Serra, Evandro está em um cômodo com duas camas, decoradas com mantas estampadas. O piso é de lajotas de cerâmica, e é possível ver cartazes de arte nas paredes, almofadas coloridas e um baú que serve de mesa de cabeceira, com livros e outros objetos.

O comediante contou que teve três visitas durante a semana e que adora porque ganhar sobremesas, que divide com outro pacientes. Santo também disse que pretende compartilhar com os seguidores as ações realizadas na clínica, como as aulas de psicologia comportamental e as de espiritualidade.

“Estou na quinta internação. É um tratamento humanizado, a recuperação é por atração. Tem uma diferença entre estar limpo e estar em recuperação. Eu posso estar limpo e não estar em recuperação, a minha doença tem a ver com o meu comportamento. A recuperação é total, mental, espiritual e física. Foi nessa quinta internação que eu consegui finalmente falar: ‘Sim, eu sou doente. Sim, eu preciso de ajuda’. Foi a primeira vez que eu me internei voluntariamente, com vontade, e acho que fez toda a diferença”, disse.

Em um vídeo, o humorista falou sobre todo o processo que tem passado na luta contra as drogas. “Este é o IGTV mais difícil e acho que um dos mais importantes da minha vida. Eu vou começar com uma frase que muitos de vocês talvez não conheçam, mas muito talvez conheçam. Eu sou o Evandro, 46 anos, e sou um adicto em recuperação. A adicção é uma doença que pode surgir com compulsões e pode evoluir através de sexo, comida, drogas, e no meu caso foram as drogas“, confessou.

Ele contou que o vício em drogas começou já na fase adulta da sua vida. “Eu tive uma adolescência bem tranquila na verdade. Meu interesse era fazer balé, fazer teatro, pagar minhas contas. Eu saí de casa cedo, já era gay, filha de mãe solteira. Mexer com as drogas não estava nos meus planos, pois eu sabia que a droga poderia me derrubar a caminho da minha sobrevivência. Eu não fumei maconha, eu não bebi, não cheirei, não usei loló. Todas as minhas loucuras eu fiz de cara limpa“, declarou.

Confira:

Elson BarbosaElson Barbosa
Jornalista, encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @ellsonbarbosa
Veja mais ›