Ex-bailarina do Faustão recebe provocação de Thiago Gagliasso e reage

Thiago Gagliasso
Thiago Gagliasso provocou ex-bailarina do Faustão, que reagiu (Imagem: Reprodução – Instagram/ Montagem – RD1)

Thiago Gagliasso decidiu usar as suas redes sociais para debochar da ex-bailarina do Domingão do Faustão, Carol Tozaki, que fez questão de reagir contra o artista nesta terça-feira (15).

Tudo começou quando a dançarina contou que já terminara um namoro porque o rapaz era um apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em seu Twitter, o irmão de Bruno Gagliasso ironizou a notícia. “Qual o nome do filme? Um Homem de Sorte”, escreveu ele.

No Instagram, Thiago Gagliasso ainda declarou: “Meus parabéns a esse guerreiro que se livrou dessa mala. O mais absurdo de tudo é isso virar NOTÍCIA na mídia tradicional Brasileira”.

Ao ver a provocação do bolsonarista, Carol Tozaki também foi até o seu Instagram e debochou da situação. “Chutei um bolsominion e ganhei vários admiradores. Qual o nome do filme? Sorte no amor!”, escreveu a ex-bailarina do Domingão na legenda de publicação em que aparece segurando um buquê de flores. Ela ainda marcou Thiago.

Em abril, a dançarina surpreendeu e abriu o jogo sobre casos de racismo nos bastidores do programa de Fausto Silva. Em conversa com a coluna de Leo Dias, do Metrópoles, a também modelo revelou que havia uma escolha das bailarinas que iriam se dançar a depender do artista que estaria no palco da atração do programa da Globo.

“Se um Martinho da Vila se apresentasse, a maioria das meninas que iam fazer a coreografia eram negras e de cabelo afro. Agora, se fosse um sertanejo tipo o Gusttavo Lima, as meninas que iriam para a coreografia eram de pele mais clara, de cabelo loiro e liso”, contou.

“Parecia que existia um número, por exemplo: ‘Temos que ter seis negras’. E não talvez porque eles queriam que tivesse as seis negras ali, mas talvez porque hoje em dia você tem que colocar seis negras na televisão, tem que colocar uma quantidade de negras em uma dança. Para não parecer que eles tinham um preconceito, quanto na verdade tem”, afirmou a ex-bailarina do dominical.

Na entrevista, Carol também fez outro desabafo. Ela, que participou do Miss Brasil Intercontinental em 2018 e 2019, ainda contou que não se sentia bem nesses concursos pelo que as mulheres enfrentam: “É muita objetificação do corpo da mulher, por mais que haja muitas informações, existem concursos muito desatualizados”.

“A mulher é mais do que um corpo bonito e magro. Os concursos de Miss prezam muito pela beleza. E nesse universo, as mulheres negras, que não têm os traços tão finos, cabelos afro, encaracolados, não são consideradas bonitas. E eu gostaria que isso parasse, porque todas as mulheres são bonitas”, pontuou a modelo, que recordou: “Confesso que já me pediram para alisar o cabelo e uma apresentação. Não aceitei”.

Luiz Fábio AlmeidaLuiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e responsável pela coluna "Do Fundo do Baú", publicada às quintas-feiras no RD1, com conteúdos marcantes da história da TV brasileira. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser através do email [email protected]
Veja mais ›