Exclusivo: Globoplay disponibiliza O Bem-Amado, clássico de Dias Gomes

O Bem-Amado
Paulo Gracindo (Odorico Paraguaçu) em O Bem-Amado; clássico de Dias Gomes chega ao Globoplay em 2021 (Imagem: Divulgação / Globo)

Primeira novela a cores da TV brasileira, O Bem-Amado (1973) chega ao Globoplay em fevereiro, conforme informação obtida com exclusividade por esta coluna do RD1. A trama assinada por Dias Gomes, na qual Paulo Gracindo encarnou Odorico Paraguaçu, prefeito corrupto de Sucupira, integra a lista de 26 clássicos da dramaturgia resgatados pelo streaming da Globo na temporada 2021 – entre folhetins do horário nobre, minisséries e fases de Malhação.

A produção critica o Brasil do regime militar, bem como os coronéis do interior do país, a partir de Odorico, político demagogo que se elege com o slogan “Vote em um homem sério e ganhe um cemitério”. O problema é que ninguém morre. Para não perder o apoio popular, Paraguaçu consente com a volta do matador Zeca Diabo (Lima Duarte) à cidade, certo de que ele dará fim em alguém, inaugurando a obra.

Odorico Paraguaçu conta com o apoio da família Cajazeira, representada pelas irmãs Dorotéia (Ida Gomes), Dulcinéia (Dorinha Duval) e Judicéia (Dirce Migliaccio), e do fiel secretário Dirceu Borboleta. A oposição é representada pelas figuras da delegada Donana Medrado (Zilka Salaberry), do dentista Lulu Gouveia (Lutero Luiz), do jornalista Neco Pedreira (Carlos Eduardo Dolabella) e do médico Juarez Leão (Jardel Filho).

A novela baseada em Odorico, o Bem-Amado ou Os Mistérios do Amor e da Morte, peça teatral escrita por Dias Gomes em 1962, abriu as portas da Globo para o mercado internacional, sendo a primeira da emissora a ganhar exibição no exterior. Também rendeu o seriado de mesmo nome, exibido entre 1980 e 1984 – cujo ponto de partida foi, justamente, a “ressuscitação” de Odorico.

No elenco, Sandra Bréa, Ruth de Souza, Rogério Fróes, Maria Cláudia, João Paulo Adour, Gracindo Jr., Dilma Lóes e Ana Ariel. Milton Gonçalves viveu Zelão das Asas, pescador que desejava voar como um pássaro, uma metáfora quanto ao desejo de liberdade, então cerceada pela ditadura militar. Na trilha sonora, composições de Toquinho e Vinícius de Moraes.

Espelho

Embora concebida há 48 anos, completados em janeiro próximo, O Bem-Amado guarda semelhanças com o Brasil de hoje. Em dado momento do enredo, Odorico tenta impedir a vacinação dos moradores de Sucupira diante de uma epidemia de tifo, apenas para tentar obter os louros pela medicação. Também teoriza a respeito do médico Juarez Leão, considerando-o um espião de Moscou. Qualquer semelhança com o movimento que hoje opõe Jair Bolsonaro e João Dória, no que tange à Coronavac, ou a suposta “ameaça chinesa” citada pelos apoiadores do Presidente da República, dada a distância de tempo, é coincidência.

Calendário

Globoplay
Lucélia Santos (Silvana) em Vereda Tropical; novela também desembarca no Globoplay ano que vem (Imagem: Divulgação / Globo)

A coluna adianta também a previsão de chegada ao Globoplay dos clássicos destacados por Erick Bretas em evento online da CCXP, na última sexta-feira (4). Vereda Tropical (1984), sucesso de Carlos Lombardi, foi incluída nas estreias da plataforma agendadas para março. Pai Herói (1979) e Pecado Capital (1975), duas das mais bem-sucedidas tramas de Janete Clair, serão disponibilizadas em junho e novembro, respectivamente. Riacho Doce (1990) chega em 4 de janeiro; Chocolate com Pimenta (2003) no dia 18 do mesmo mês, exatos 30 dias após o fim da exibição no Canal Viva.

Duh SeccoDuh Secco
Duh Secco é  "telemaníaco" desde criancinha. Em 2014, criou o blog "Vivo no Viva", repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.
Veja mais ›