Exclusivo: Sabrina Sato abre o coração sobre casamento, desafios na carreira e futuro na TV

Sabrina Sato
Sabrina Sato conversou com o RD1 sobre carreira e vida pessoal (Imagem: Reprodução / Instagram)

Sabrina Sato mostrou que está disposta a enfrentar quaisquer dificuldades m sua profissão. A apresentadora, que esteve à frente do Ilha Record, formato autoral da Record, mostrou desenvoltura na atração e chegou a liderar a audiência com a final do programa, ocorrida no mês passado.

Em entrevista exclusiva ao RD1, Sabrina fala sobre as experiências que teve ao longo de sua carreira, desde a época em que trabalhava como bailarina do Faustão, na Globo, passando pelo Big Brother Brasil, Pânico na TV e Pânico na Band, e os programas que apresentou na Record.

Confira:

RD1 – Como foi a experiência no comando do Ilha Record?

Sabrina SatoA experiência de comandar o reality foi completamente diferente de tudo o que já vivi profissionalmente, fui tirada da minha zona de conforto e acabei percebendo uma força que me surpreendeu. Foi um aprendizado diário que me enriqueceu tanto quanto profissional como também pessoal. Foram mais de 280 pessoas da equipe que deixaram suas casas por dois meses de gravação para fazer o programa dar certo.

O tamanho do desafio foi também o da minha felicidade e orgulho em fazer parte desse projeto único e exclusivo da Record. Além de todos os desafios, por ele ser gravado, a gente não tinha o termômetro do público, não sabia como seria a reação dos telespectadores vendo o nosso dia a dia ali, porém o resultado não poderia ser mais feliz. Desde a nossa estreia, o programa vem sendo um dos assuntos mais comentados, não teve um dia sem fervilhar nas redes sociais, isso graças a edição e elenco maravilhosos.

RD1 – O que você gosta de assistir na TV e o que mais sente falta?

Sabrina SatoSou apaixonada por televisão! Minha rotina é muito corrida, mas sempre que posso maratono séries, assisto de tudo, realities, documentários, jornalismo, entretenimento. E claro que nesta época assisti todos os dias Ilha Record. E a final foi ao vivo!

Senti aquele frio na barriga para apresentar e saber os vencedores. O que sinto falta é ver a plateia cheia, aquele calor humano (agora de forma restrita em função da pandemia, seguindo protocolos de saúde e segurança).

RD1 – Nesse período em que esteve na Ilha Record, como conciliou o relacionamento com o trabalho?

Sabrina SatoForam dois meses isolados. Antes de ir, me preparei com fono, coach, reuniões com direção e produção, provas de looks… Depois de tudo pronto, nos mudamos e ficamos 15 dias em quarentena (neste período de pré-gravação isolados), fazendo exames periódicos para garantir a segurança de todos. Depois iniciamos as gravações, que foram mais 40 dias.

Toda estrutura montada pela Record era surreal, eu brinco que parecia uma cidade universitária, mas com muita organização e normas. Mudei para bem próximo do local das gravações com a equipe, a Zoe, o Duda e suspendi tudo que eu estava fazendo nesse período, pois me dediquei 100% ao programa. Mesmo com os desafios e diária intensa de gravações foi muito bom passar esse tempo lá com eles, pertinho da natureza.

Quem acompanhou o reality, pode ver que além de todas as ações do programa, convivência dos participantes, tretas, provas, desafios… fomos presenteados com uma cenografia, fotografia, um lugar lindíssimo, de belezas naturais. E pra nossa família, fomos muito felizes lá, intensificou nosso relacionamento e ficará nas nossas memórias eternamente. Minha família foi importantíssima nessa experiência.

RD1 – Olhando para trás, desde os tempos de bailarina, qual a fase profissional mais difícil que você atravessou?

Sabrina SatoDesde os meus 5 anos eu sabia que queria trabalhar na televisão e ser apresentadora, não imaginava que chegaria onde estou, mas sempre batalhei pelos meus sonhos. Amadureci muito desde meus tempos como bailarina, não só como profissional, mas também como mulher. Busquei autoconhecimento, trabalhei muito, me dediquei, fortifiquei ainda mais meus valores.

Sempre digo que sou abençoada e que meu caminho sempre foi feliz, porém já passei por muitos desafios também. A Ilha Record foi um presente da emissora. É um formato original e sempre soube que tinham muito carinho por este projeto. Sou muito grata por ter tido a oportunidade de apresentar esta primeira edição. E mais feliz ainda com toda sinergia do público.

Olhando para trás um momento difícil foi a saída de Penápolis para fazer faculdade de dança na UFRJ, no Rio de Janeiro, e deixar a família para esse início de carreira. Ao mesmo tempo difícil e desafiador também, mas fundamental para meu crescimento e amadurecimento.

RD1 – Olhando o seu momento atual, o que ainda lhe falta na carreira?

Sabrina SatoSempre falei abertamente sobre meus planos profissionais e dos meus sonhos para meu público e seguidores. Sou apaixonada por novos desafios e programas como a Ilha Record, me motivam demais. Eu amo trabalhar na TV e ser apresentadora. Acredito em um programa para toda a família, que pudesse ser um momento especial de reunião e entretenimento para as pessoas, cheio de interações entre os telespectadores e nós da produção.

Mas também amo reality show, fico vidrada assistindo, apresentando… eles são desenvolvidos para nos prender e vibrar juntos, não tem como não amar. Seria bem legal apresentar um programa de formato novo também, com boas histórias e reviravoltas, assim como a Ilha Record, que foi algo inédito. Bom, sou sonhadora, tenho muitos planos a serem executados ainda (risos).

MAIS LIDAS

Reuber Diirr
Reuber Diirr é formado em jornalismo pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Com passagens pela Record News ES e TV Gazeta (Globo/ES), acompanha as coletivas de imprensa com matérias exclusivas. Além disso, produz conteúdo multimídia para o Instagram, Twitter, Facebook e Youtube do RD1. Acompanhe os eventos com famosos clique aqui!
Veja mais ›