Fábio Porchat recorda frase polêmica e alfineta Bolsonaro por causa das rachadinhas

Fábio Porchat
Fábio Porchat cutuca Bolsonaro e aliados do governo (Imagem: Reprodução – Globo / Montagem – RD1)

Baseado nos últimos acontecimentos envolvendo o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Fábio Porchat não perdeu a chance e deu uma cutucada no “capitão”, em seus familiares e aliados. No Twitter, ele citou as rachadinhas e recordou uma frase polêmica.

“Se rachadinha é corrupção e corrupção é crime e quem comete crime é bandido, fiquei na dúvida se a frase ‘bandido bom é bandido morto’ permanece valendo ou caiu em desuso mesmo”, debochou o humorista na última quarta-feira (30).

Nos comentários, amigos de Porchat alfinetaram os bolsonaristas. “Bandido bom é bandido morto P.S.: eu que defino quem é ou não bandido”, provocou Marcelo Adnet. “Você não entendeu. Na frase popularizada pelo então presidente existe um ‘pobre’ implícito, sem a contração, ficaria: bandido (pobre) bom, é bandido morto”, explicou João Vicente de Castro.

Ontem (1º), o apresentador da Globo foi um dos telespectadores do debate na Band no Rio de Janeiro, e ele não escondeu a sua decepção com os candidatos. “Assistindo ao debate do Rio. Muito triste. Não sei o que te falar. Pode votar no moço que tá fazendo a tradução de libras ali no cantinho?”, perguntou.

Marcelo Crivella (Republicanos), atual prefeito do Rio, foi um dos convidados pela emissora para o debate, assim como Eduardo Paes (DEM), Benedita da Silva (PT), Renata Souza (PSOL) e Martha Rocha (PDT), “Vem cá, no próximo debate entra uma nova leva de candidatos, né?”, disparou o famoso.

Confira:

Paulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].
Veja mais ›