Fernanda Vasconcellos se despede de A Vida da Gente com homenagem a Nicette Bruno

A Vida da Gente
Fernanda Vasconcellos (Ana), Nicette Bruno (Iná) e Marjorie Estiano (Manuela) em A Vida da Gente; Globo resgata folhetim nesta segunda-feira (1°) (Imagem: Renato Rocha Miranda / Globo)

Dez anos depois, a reprise da novela A Vida da Gente chegou ao fim nos fins de tarde da Globo e sua protagonista, Fernanda Vasconcellos, fez um lindo post em homenagem, com uma mensagem especial sobre a atriz Nicette Bruno.

Na ocasião, a intérprete de Ana se despediu da novela que fez em 2011 com várias fotos do elenco e disparou: “Agora dou aquela piscadinha para o céu agradecendo a Deus por ter conhecido a Ana, a Manu, Iná, Eva…”.

“Por ter colocado essas atrizes no meu caminho. Nicette, meu amor… ver a Iná dando colo para a Ana me fez reviver as inúmeras vezes que você segurou a minha mão e se fez presente quando precisei”, revelou.

Em seguida, agradeceu a oportunidade de ter participado da história:

“Mas a saudade também se fez presente e às vezes foi duro de assistir, ainda assim… bonito e emocionante. Agradeço a oportunidade valiosa que o @jaymemonjardim e a @tvglobo me deram de interpretar o texto da @licia_manzo que me deixou mais sabida das coisas da vida. Todos nós tivemos um momento especial neste projeto, um vínculo generoso que reverbera em mim até hoje. E o reconhecimento do público dá um fôlego danado para seguir no mergulho profundo das personagens”.

“A vida da gente segue me dando alegrias mesmo em momentos difíceis, como este, que estamos vivendo. Fica aqui registrado todo o meu carinho e admiração. Evoé”, finalizou.

Recentemente, em conversa com a Marie Claire, a atriz elogiou o folhetim de Licia Manzo:

“Assisto quase todos os dias. Me chama atenção como o texto se manteve atual. É atemporal, e me identifico com cenas que tem uma leitura diferente agora. Tem uma cena da Ana com o Rodrigo (Rafael Cardoso), na qual ela diz que tem que se reinventar em todos os sentidos, e o quanto isso deixava ela com medo, insegura. Dialoga muito com o que a gente vem vivendo, essa incerteza, aprender a se adaptar ao isolamento, e o quanto gera insegurança, medo. O texto mexeu comigo, é realmente muito atual“.

Espectadora fiel da novela, Fernanda contou que atualmente gosta de se assistir:

Hoje eu gosto. Já fui muito dura comigo, com o meu trabalho. Hoje tenho prazer de ver e até penso se faria tão bem. Hoje faço outros personagens, outras coisas. Tenho um olhar mais concreto, menos crítico”.

Como a Ana tem uma grande carga dramática, Fernanda Vasconcellos ainda contou como fazia para não levar todo esse peso para casa depois do trabalho.

“Durante muito tempo construí os personagens sem dar atenção à desconstrução deles, e uma hora essa conta chegou, me vi um pouco embolada com sentimentos que não eram meus“, explicou a atriz.

“Aprendi a respeitar meu tempo interno de começar e terminar trabalhos sem emendar, sem fazer ao mesmo tempo. É um processo no qual você acaba se autoconhecendo”, completou.

Fã da trama, a artista ainda pontuou sobre a história:

“Essa novela não subestima a inteligência de quem assiste. Não dá de bandeja o que é bom, o que é ruim, o que é certo ou errado. Ela fala sobre a complexidade da relação humana. E a novela é muito alinhada, todo mundo deu o seu melhor, o resultado enche os olhos e enche o coração. Fala de amor e estamos precisando”.

Confira:

Lucas Medeiros
Lucas Medeiros é formado em Comunicação Social e escreve sobre o dia a dia da TV.
Veja mais ›