Galvão Bueno fica empolgado com possível recorde do Brasil em Olimpíadas

Galvão Bueno
No SporTV, Galvão Bueno defende recorde de medalhas de ouro para o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio (Imagem: Reprodução / SporTV)

Galvão Bueno não escondeu sua empolgação sobre o ritmo de medalhas conquistadas pelo Brasil nas Olimpíadas de Tóquio. O principal narrador da Globo contou ao Ohayo Tóquio, programa especial do evento no SporTV, que “o caminho é bom” para um recorde histórico do nosso país.

O global analisou as modalidades e discordou de Guilherme Costa, responsável pelo cálculo de possível medalhas para o país até o final da Olimpíada. “Estou tentando discordar”, provocou.

“Nós temos quatro medalhas de ouro, não é difícil superar as sete, não. Acredito piamente que vamos superar. Vou te dar cinco agora. Futebol, duas no vôlei, o Isaquias, a Bia, no boxe, e vou te dar uma sexta no skate — já estão sobrando duas”, frisou.

Marcelo Barreto, apresentador do programa ao lado de Bernadinho, ex-técnico da Seleção Brasileira de vôlei, e Costa, não concordaram com o narrador. “Precisa combinar com eles”, ironizou o comentarista.

Galvão Bueno defendeu: “Não tem que combinar, não. O futebol tem totais possibilidades da conquista do ouro, mesmo a Espanha tendo trazido cinco jogadores titulares da Eurocopa. Foi o time que trouxe mais jogadores importantes, semifinalistas”.

“O time feminino [de vôlei] do jeito que está jogando, tem totais condições, o masculino também. O Isaquias é super… Não diria que favorito, tem o alemão, mas ele tem totais possibilidades de conquistas no C1 1000. A Bia é favoritíssima. O skate pode pintar, então eu não vejo a dificuldade para fazer as oito medalhas de ouro, não. Acho que o caminho é bom”, acrescentou.

Galvão não combinou os seus planos com a seleção masculina de vôlei, que perdeu para a Rússia na madrugada desta quinta-feira (5), e deu adeus ao sonho de mais uma medalha de ouro.

Nesta semana, o veterano das transmissões revelou o seu desejo de ter um programas aos domingos na Globo. Ele pensou que o seu pedido estava em off, mas uma falha técnica expôs a vontade do apresentador para o público: “Eu quero um programa pra mim, domingo”.

MAIS LIDAS

Paulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].
Veja mais ›