Geisy Arruda
Geisy Arruda lembrou que já recebeu pedidos inusitados (Imagem: Reprodução / Instagram)

Geisy Arruda causou polêmica novamente ao fazer algumas revelações sobre sua vida pessoal. Famosa por ser expulsa de uma faculdade por causa de um vestido curto, a modelo está prestes a celebrar uma década de carreira.

Nesse pequeno percurso, a modelo tem muita história para contar. “Era um dia típico de sair da faculdade e ir para a balada. Aí já fui preparada. Peguei meu busão às 18h30 no ponto para ir para a faculdade. Por conta de horário, como a gente pegava condução, tinha que ir direto. Acabou a faculdade, já tem que pegar o último ônibus para a balada. Então já fui com a roupa, já fui pronta“, contou ela, com riqueza de detalhes, ao canal Lavando a Roupa.

Nesse caminho, ainda ali no busão, as pessoas te olhavam estranho, falavam alguma coisa [sobre a roupa que estava usando]?“, quis saber o entrevistador.

Era curto, óbvio, mas era o meu vestido. Talvez quando eu andasse ele subia, mas eu puxava. Era uma roupa normal. Eu peguei ônibus, andei mais 5 minutos até a faculdade, entrei e não tinha nada de errado com ele. Defendo ele sempre, era um vestido normal“, disparou Geisy.

Subindo as rampas da faculdade, comecei a ver os caras assoviando, uns olhares mais fortes que o normal. A galera geralmente olhava, comentava, mas não chegava a assoviar. Eu pensei ‘gente, eu devo estar arrasando, devo estar muito gata’. Até olhei para ver se não tava suja“, prosseguiu.

No intervalo, as pessoas não foram para os bares. Foram para a porta da sala. Falavam que eu tava transando na sala, cada um contava uma história. Todo mundo foi me olhar. Começaram a inventar um monte de mentira sobre mim. Começaram a querer ver quem era a pessoa. Alguém inventou uma mentira na faculdade e espalhou essa mentira. Quando chegou a polícia, todo mundo teve certeza que eu tava fazendo alguma coisa de errado“, disse Geisy Arruda.

Em relação ao vestido rosa, que abalou as estruturas do ensino superior, ela disse que mantem o modelito bem guardado. “Ele tá guardado em um cofre. É patrimônio histórico. Há 5 anos fiz fotos com ele e depois guardei de novo. A gente procura ir lá uma vez por ano, dar uma lavada, higienizar para não criar mofo, mas nunca ninguém mexe. Paguei 50 reais. Era liquidação“, revelou a famosa.

Ainda na entrevista, Arruda conta que aproveitou o interesse causado pela exposição do caso para buscar independência financeira. “Depois lancei uma coleção chamada Rosa Divino. Já é muito melhor, mais acinturado, bordadinho. É um pouco periguete…“, comentou.

Gente, já recebi uma proposta para fazer programa em Angola. Era em dólar. Era muito dólar, velho. Era tipo 100 mil dólares. Depois passou no Fantástico, isso era um trafico que levava meninas daqui para lá. Era um rei de lá, alguém de muita grana. Uma vez eu recebi [uma outra proposta] para ir para Dubai e ficar à disposição de um sheik. Eu e não sei mais quantas mulheres, ficar num harém. Não vou dividir um homem com 12 mulheres. Mais fácil eu pegar as 12 mulheres para mim“, comentou a celebridade sobre receber alguns convites para fazer programas em Angola, mas que foram negados.

Assista ao vídeo:

🔔Boletim RD1 | Notícias dos Famosos