Globoplay se manifesta sobre baixa qualidade de imagem das novelas

Globoplay
Rafael Cardoso (Rodrigo) e Fernanda Vasconcellos (Ana) em A Vida da Gente; Globoplay oferece versão em baixa qualidade da trama (Imagem: Matheus Cabral / Globo)

O Globoplay está fazendo a alegria da comunidade noveleira com a disponibilização de uma novela do catálogo da Globo a cada duas semanas – após A Favorita (2008) e Tieta (1989), Explode Coração (1995) chega à plataforma na próxima segunda-feira (22). Mas queixas sobre a qualidade dos primeiros títulos hospedados no serviço, por ocasião de seu lançamento em 2015, persistem…

Tramas gravadas em HD, entre 2010 e 2011, estão com imagens e sons sofríveis; também apresentam cortes de aberturas e vinhetas. São os casos de Passione, Tititi, Insensato Coração, Cordel Encantado, Morde & Assopra, Fina Estampa (em versão original), A Vida da Gente e Aquele Beijo, além de O Astro, folhetim das 23h que arrebatou o Emmy.

Consultado pelo RD1, o Globoplay informou através de sua Comunicação: “Estamos constantemente avaliando e investindo na melhoria da qualidade das novelas que estão disponíveis na plataforma, tanto as que foram originalmente captadas em definição padrão quanto as que já foram produzidas em alta definição“. No aguardo.

Ao alcance das mãos

Enquanto não “reformula” tal conteúdo, o aplicativo de streaming da Globo se afina com novas tecnologias. O Globoplay virá embarcado nativamente na nova linha de televisores da Samsung série 2020ª, lançada nesta terça-feira (16).

As marcas prometem “melhor navegação, maior fluidez de streaming, uma nova possibilidade de experiência entre o sinal da TV aberta e o da internet, além de som e imagem em altíssima definição – o UHD”. O acerto inclui botão hotkey no controle remoto, de acesso imediato às produções hospedadas na plataforma.

Globoplay
Edson Celulari (Júlio Falcão) em Explode Coração; novela de Glória Perez chega ao Globoplay (Imagem: Divulgação / Globo)

Explode Coração, aliás, exalta avanços tecnológicos. Em especial, a internet que ainda engatinhava no Brasil e no mundo. E que serviu de elo para o casal protagonista, a cigana Dara (Tereza Seiblitz) e o empresário de aspirações políticas Júlio Falcão (Edson Celulari).

Eu diria que foi a primeira novela interativa. Ela nasceu da minha convivência nas redes jurássicas de então. Convivendo ali, vi pessoas se apaixonando, desfazendo namoros e até casamentos por gente que nunca tinham visto pessoalmente. Era uma versão nova do velho amor por correspondência. Isso me fascinou“, recorda a autora.

Celulari, por sua vez, celebra a possibilidade de resgatar as lembranças de bastidores, bem como as da vida pessoal: “A gente fica muito feliz quando um trabalho vai repetir, e todas as memórias começam a vir à tona. Essa novela foi exibida antes de o meu filho Enzo [da união com Claudia Raia] nascer. É uma novela muito rica de história, de conteúdo e muito bem produzida. Fico alegre de o público poder ter acesso à obra novamente“.

Globoplay
Sergio Guizé (Candinho) e Eliane Giardini (Anastácia) em Êta Mundo Bom!; encontro de mãe e filho marca semana em Vale a Pena Ver de Novo (Imagem: João Cotta / Globo)

O Vale a Pena Ver de Novo exibe, a partir desta quinta-feira (18), as cenas de Êta Mundo Bom! (2016) em que Anastácia (Eliane Giardini) descobre a verdadeira identidade de Ernesto (Eriberto Leão), o falso Candinho. O bandido é desmascarado por Pancrácio (Marco Nanini) durante seu casamento com Sandra (Flávia Alessandra). Na sexta-feira (19), a dona da fábrica de sabonetes conhece seu filho legítimo, Candinho (Sergio Guizé).

CONTINUE LENDO →

Duh Secco é “telemaníaco” desde criancinha. Em 2014, criou o blog “Vivo no Viva”, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.

ALERTAS GRATUITOS