Internautas driblam YouTube e disponibilizam filmes do Cine Privé

Cine Privé
Cine Privé invade YouTube durante quarentena (Imagem: Reprodução / Band)

A sessão de filmes eróticos da Band, o Cine Privé, não foi esquecida pelos internautas. Telespectadores das histórias de Emanuelle e de outras tramas clássicas do mundo pornô soft subiram vários filmes do catálogo da emissora no YouTube.

Filmes como Erotismo Virtual (1996), Amor e Sedução (1996) e Prazeres do Futuro (1993, foram alguns dos títulos que surgiram na primeira busca no site de vídeos. A invasão dos longas antigos veio à tona em meio à pandemia do novo coronavírus, que forçou boa parte da população ao isolamento.

Em julho do ano passado, a emissora da família Saad surpreendeu e anunciou a volta da sessão para alegria dos fãs. A atração voltou ao ar sete anos após o seu fim. De lá para cá, o programa se manteve no ar alcançando bons índices de audiência.

A sessão de filmes picantes estreou na programação do canal paulista em 1995 e ficou no ar por 17 anos, encerrando seu ciclo em 2012. Na época, a direção trocou o título por Cinema na Madrugada, com filmes do mesmo gênero, mas em uma pegada ainda mais light.

Sempre lembrados pelo público, os títulos Emanuelle viraram febre no mundo pela primeira vez em 1974, com a atriz Sylvia Kristel. Além dela, as atrizes Marcela Walerstein, Monique Gabrielle e Krista Allen viveram a personagem icônica. A última é a mais lembrada pelo público do Cine Privé.

A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.

WordPress Lightbox