Justiça se envolve e pede a paz, mas funcionários continuam em greve na RedeTV!

RedeTV!
RedeTV! não se manifesta sobre possível conciliação com grevistas (Imagem: Divulgação / RedeTV!)

A Justiça se envolveu na greve da RedeTV!, mas o primeiro pedido de conciliação não surtiu efeito até o momento. O Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo apresentou uma proposta para o fim da greve.

Os funcionários do canal quinto lugar no ranking de audiência da TV aberta concordaram com a proposta, de acordo com as informações do Notícias da TV, mas não abandonaram a greve por um motivo simples: a RedeTV! não se manifestou sobre o assunto.

O desembargador Valdir Florindo sugeriu que o salário dos colaboradores tenha um ajuste de 17%: 7% em outubro, 5% em janeiro de 2022 e mais 5% em abril do próximo ano. Além disso, o canal paulista deve garantir o emprego dos grevistas durante o período do dissídio e pagar 50% dos dias paralisados.

Em comum acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão no Estado de São Paulo, os grevistas concordaram com a proposta inicial. A paralisação, pensada para até o próximo dia 8, não foi encerrada pela falta de uma resposta clara da RedeTV!.

O lado mais forte do canal já mostrou sua total discordância pela greve. Até Sikêra Jr, apresentador do Alerta Nacional, se colocou contra o movimento. Ao vivo, ele declarou:

“Ei, você, que tá na porta da RedeTV!. Acaba com isso. Vamos trabalhar. Olha, tem muita gente desempregada querendo tomar o seu lugar. Não é hora pra isso”.

Ainda no Alerta Nacional, Sikêra Jr até pensou nas críticas que iria receber dos grevistas e se mostrou contra o movimento. “O pessoal fala que você ganha bem”, disse ele, tentando reproduzir uma crítica. “Demorou 33 anos pra chegar”, reagiu ele. Ele é um dos maiores salários do canal paulista.

Segundo a associação, os profissionais estão insatisfeitos com os baixos salários oferecidos pela empresa. “Os Radialistas da RedeTV! amargam salários sem reajustes há mais de quatro anos, inclusive em cláusulas econômicas contidas na Convenção Coletiva da Categoria. Sem interesse da direção da RedeTV! em negociar, só restou os trabalhadores decretarem greve. As perdas salariais dos trabalhadores são de 18,72%, se considerar o retroativo chega a 354%”, alegou a instituição em nota divulgada.

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›